Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2007

Infraero diz que crise estrutural de Congonhas acabou

São Paulo - O superintendente regional sudeste da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), Edgard Brandão Júnior, afirmou nesta sexta-feira em São Paulo que a crise estrutural de Congonhas se encerra com a entrega das obras da pista principal do aeroporto, que duraram 45 dias.

"Temos agora o aeroporto com duas pistas novas, perfeitas para o pouso. Não será mais necessário fechar o aeroporto em casos de chuvas para a medição da lâmina d'água. Isso só voltará a acontecer em casos excepcionais, como ocorre em qualquer aeroporto do mundo", diz.

Segundo ele, o momento delicado que a aviação brasileira vive desde setembro do ano passado acabou abreviando a realização dessas obras. "O grande questionamento que se fazia era como parar o aeroporto para a realização desses serviços. Seguimos um cronograma, que provocou algumas dificuldades aos passageiros, mas esse problema foi totalmente resolvido", afirma.

Com a pista reaberta, Congonhas …

Tiroteio na Ilha fecha pista do Galeão e atrasa vôos da Ponte Aérea

Bando metralha delegacia e cabines da PM, rouba carros e invade casa. Três suspeitos são mortos.

Morro do Dendê está cercado. Bandidos atiraram em delegacia e cabines da PM .

O Dia
Rio - A manhã desta segunda-feira foi de bastante tensão na Ilha do Governador, Zona Norte. Bandidos fizeram disparos contra a delegacia do bairro e contra duas cabines da Polícia Militar. Eles ainda roubaram carros e um chegou a invadir uma casa durante a fuga. Toda a área foi cercada e o Morro do Dendê, de onde seriam os criminosos, ocupado. Três bandidos morreram, um foi preso e um está foragido. Em razão dos tiroteios, um homem e uma mulher foram feridos. Por causa dos confrontos, uma pista do aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Galeão), na Ilha, foi fechada durante o período da manhã e os aeroportos de São Paulo alteraram o esquema de decolagens para o aeroporto. A Aeronáutica não informou quanto tempo os trabalhos no aeroporto ficaram prejudicados.De acordo com a Infraero, porém, não …

Lula endurece e exige que Aeronáutica "ponha ordem na casa"

da Folha Online O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira, durante o programa de rádio "Café com o Presidente", que determinou ao Comando da Aeronáutica "colocar ordem na casa" para acabar com a crise no setor aéreo. "A determinação minha para o Comando da Aeronáutica é colocar ordem na casa, faça o que tiver que ser feito, mas nós precisamos manter o bom funcionamento dos aeroportos, a disciplina militar, porque pra isso eles entraram nas Forças Armadas, se formaram sargentos e, portanto, têm que respeitar a hierarquia e cumprir com a determinação que todos os outros brasileiros cumprem", disse. Lula disse que foi informado que não há mais atrasos por causa de problemas do controle aéreo. "A informação que eu tenho da Aeronáutica é que todos os postos de controle do Cindacta estão funcionando. Não há mais atrasos por causa de problemas do controle aéreo. Nós nunca vamos acabar com atraso de avião, porque no mundo in…

Asas de dois aviões batem durante taxiamento em Congonhas; viagens atrasam

da Folha Online As asas de um avião da TAM e outro da Gol bateram durante taxiamento no aeroporto de Congonhas (zona sul de São Paulo), na noite de domingo (24). O impacto assustou passageiros. Ninguém se feriu. Devido à colisão, os dois vôos foram cancelados, e os passageiros foram acomodados em outros aviões. Segundo a assessoria de imprensa da TAM, a aeronave tinha decolagem prevista para as 22h59 com destino a Ribeirão Preto (314 km a norte de São Paulo) e levava 123 passageiros. A empresa afirma que todos foram encaminhados a um hotel e tiveram o vôo remarcado para as 9h30 desta segunda. O avião da Gol seguia para Campo Grande (MS). Os passageiros foram transferidos para o aeroporto internacional de São Paulo, em Cumbica (Guarulhos, região metropolitana), e seguiram viagem durante a madrugada. A reportagem não conseguiu localizar, na manhã desta segunda, a assessoria da Gol.

Decolagens para o Rio são suspensas em Congonhas e Guarulhos

da Folha Online Depois de uma manhã tranqüila, os aeroportos de Congonhas (zona sul de São Paulo) e de Guarulhos (Grande São Paulo) tiveram as decolagens com destino ao Rio suspensas no começo da tarde desta segunda-feira. A medida deve provocar atrasos ao longo do dia. Segundo a Infraero (estatal que administra os aeroportos), a suspensão foi uma determinação da Aeronáutica. Segundo a Infraero, as decolagens a partir do aeroporto de Congonhas foram suspensas às 11h38 e retomadas às 12h10. Ainda segundo a empresa, por hora, partem de São Paulo 38 vôos com destino ao Rio de Janeiro. Devido ao problema, há espaçamento entre as aeronaves de cinco minutos, informou a estatal. No aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica (Guarulhos), a interrupção dos vôos ocorreu das 11h38 até as 11h53. A empresa não informou quantas decolagens foram atingidas. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Aeronáutica afirmou que ainda não tem informações sobre a suspensão das ope…

Lebres fecharam aeroporto em Milão

PravdaForam capturadas cerca de 50 lebres. Apesar de parecer uma caçada esportiva, a intenção é retirar os animais do aeroporto para que evitem acidentes. As lebres invadem as pistas e colocam em risco os pousos e decolagens dos aviões. “Há um risco de essas lebres provocarem um sério acidente”, disse Alberto Grancini, responsável pela segurança do aeroporto, ao jornal italiano La Repubblica.Os animais corriam pela pista e deram trabalho aos policiais até serem capturados e levados a um lugar seguro.O aeroporto teve de ser fechado das 5h às 8h (horário local), e 12 vôos foram remarcados até que as lebres fujonas fossem pegas.

Políticos querem privatização de aeroportos

Evento em SP discute novas formas de gestão do sistema aeroportuário. “Tem que privatizar tudo”, afirma o senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

Daniel Santini Do G1, em São Paulo

A privatização dos aeroportos brasileiros foi discutida na manhã desta segunda-feira (18) durante evento sobre o setor aéreo que reuniu, em São Paulo, políticos do Democratas.

Com a presença de alguns dos principais parlamentares do partido, foram debatidas alternativas para passar à iniciativa privada o gerenciamento dos aeroportos do país. Além de análise da legislação atual - que prevê que a União deve zelar pelo tráfego aéreo nacional - também foram estudadas as concessões e parcerias público-privadas que poderiam ser implantadas no sistema aeroportuário brasileiro.

Tendo como base a crise no sistema aéreo, os participantes propuseram um novo modelo de gestão. O ponto de partida seria uma reforma no Campo de Marte, na Zona Norte de São Paulo, e a construção de um terceiro aeroporto na capital.

De acor…

Controladores entregam dossiê à CPI

Deputados ouvem relatos de pelo menos três situações com risco em vôos no país. Documento foi entregue durante vistoria em Congonhas (SP).

Daniel Santini Do G1, em São Paulo

Controladores de vôo entregaram aos integrantes da CPI do Apagão Aéreo na Câmara, na manhã desta segunda-feira (18), um relatório em que documentam problemas no tráfego áereo e pelo menos três situações de risco envolvendo vôos em diferentes regiões do país. O dossiê foi passado aos sete deputados federais que fizeram vistoria nesta manhã no Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo.

"Os controladores nunca haviam apresentado um documento. Quando ficamos sozinhos com eles, abriram o coração. Há problemas no sistema", resumiu Marcelo Castro (PMDB-PI), presidente da CPI. Além de terem feito encontro reservado com os controladores, os deputados também vistoriaram as obras no aeroporto, visitaram o centro de aproximação e a torre de controle de tráfego aéreo.

"A parte em que estive…

Passageiros ocupam companhia aérea e fazem reféns na Bolívia

Grupo de cerca de 50 passageiros cobram reembolso de empresa. Prefeitura de Santa Cruz tentou entrar em um acordo.

Do G1, com informações da EFE

Um grupo de cerca de 50 passageiros do Lloyd Aéreo Boliviano (LAB) ocupou nesta segunda-feira (18) os escritórios e tomou como reféns alguns empregados da companhia na cidade de Santa Cruz, exigindo a devolução dos bilhetes.

Os passageiros estão entre os milhares que pretendiam viajar à Espanha antes de 1º de abril, quando entrou em vigor a exigência de visto para os bolivianos. Os manifestantes surpreenderam os funcionários do LAB pela manhã, e tomaram alguns deles como reféns. Eles pediram aos gritos o dinheiro que a empresa se comprometera a reembolsar, confirmou uma fonte da companhia aérea.

À tarde, uma delegação da Prefeitura de Santa Cruz não conseguiu convencer os passageiros a aceitar uma mediação para conseguir uma solução.

"Não vamos sair. Que venha a polícia", disse um dos manifestantes, diante das câmeras de telev…

Empresas fazem parceria para ampliar aeroportos

Enquanto o governo federal ainda discute possíveis locais para a construção de um terceiro aeroporto de grande porte em São Paulo, diversas empreiteiras, bancos privados e investidores estrangeiros já se movimentam para investir pesadamente no setor. Hoje, durante o seminário Um Novo Modelo de Gestão do Transporte Aéreo, no Centro de Integração Empresa-Escola, no Itaim, zona sul de São Paulo, especialistas do setor aéreo e políticos ligados ao partido Democratas (DEM) discutiram alternativas para passar à iniciativa privada a gestão dos aeroportos brasileiros.
Um plano de Parceria Público-Privada (PPP) já foi entregue ao governo federal propondo a ampliação do Aeroporto de Congonhas, na zona sul da cidade. “O governo prometeu criar um grupo de trabalho para discutir o assunto”, disse Rubens Teixeira Alves, diretor da consultoria internacional KPMG no Brasil, que liderou hoje a palestra “Modelagem para Concessão de Sistemas Aeroportuários: Pública ou Privada?”. “O projeto foi feito por …

Infraero critica companhias pelo excesso de escalas

O presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, criticou hoje as companhias aéreas pelo excesso de escalas praticadas pelos aviões. Na sua avaliação, a estratégia contribui para os constantes atrasos registrados no País. “Elas precisam reajustar suas malhas. Fazem muitas escalas com o mesmo avião e, se ocorre algum atraso, isso mata todo o País.”

Pereira contou que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) “está estudando pesadamente o assunto”. A reportagem procurou o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea), para comentar as declarações, mas não recebeu retorno até as 20 horas.

O presidente da Infraero evitou dar um prazo para a solução da crise no setor aéreo, alegando que a questão é complexa. Ele reiterou que o governo está empenhado no assunto. Segundo Pereira, “80% do problema é a falta de recursos humanos na área de controle de vôo”.

As informações são de O Estado de S.Paulo

Avião com FHC quase bateu em Fokker da TAM em 2002, diz jornal

da Folha OnlineUm avião da FAB (Força Aérea Brasileira) que transportava o então presidente Fernando Henrique Cardoso quase bateu no ar contra um Fokker 100 da TAM com 113 pessoas a bordo, em 2002. O risco, provocado por falhas no controle de tráfego aéreo brasileiro, está descrito em mapas do Cindacta-1 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo) divulgados na edição deste domingo do jornal "Zero Hora".
Segundo a reportagem, o avião presidencial --um Boeing 737-200 chamado de Sucatinha-- e o Fokker estiveram a 24 segundos de colidir no ar, a mais de 700 km/h. O primeiro saíra de Brasília com direção ao Pará e o segundo saíra do Maranhão com direção a Brasília.
"Os mapas não revelam a data do incidente. Controladores de vôo lotados no Cindacta-1, que pediram para preservar sua identidade, asseguram que a aeronave transporta FH a Tucuruí, no Pará. Em 28 de junho de 2002, ele esteve em Tucuruí para uma cerimônia oficial", diz o texto do "Zero Ho…

Infraero critica empresas aéreas por excesso de escalas

Beth Moreira – UOL

São Paulo - O presidente da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), brigadeiro José Carlos Pereira, criticou hoje as companhias aéreas pelo excesso de escalas praticados em seus vôos. Na sua avaliação, a estratégia contribui para os constantes atrasos das aeronaves. "Elas precisam reajustar suas malhas. Elas fazem muitas escalas com o mesmo avião. Se ocorre algum atraso nessas escalas, isso mata todo o País." Pereira contou que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) "está estudando pesadamente o assunto".

O brigadeiro evitou dar um prazo para a solução do problema nos aeroportos, alegando que a questão é complexa. Ele reiterou que o governo está empenhado no assunto. Segundo ele, "80% do problema é a falta de recursos humanos na área de controle de vôo".

Pereira evitou se posicionar a respeito da desmilitarização do setor. "Se o controlador que estava operando (a tela do radar no dia do aciden…

Presidente da Infraero: faltam aviões no país

À CPI, ele disse que há risco de apagão no transporte de cargas nos próximos anos. O brigadeiro chamou de 'chantagem' a postura dos controladores.

Leandro Colon Do G1, em Brasília

O presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, afirmou à CPI do Apagão Aéreo da Câmara nesta terça-feira (12) que o sistema áereo brasileiro sofre com a falta de aviões no país. Segundo ele, há um saldo negativo de, pelo menos, 80 boeings no Brasil, em decorrência das recentes crises na Vasp e na Varig. Além disso, afirmou, é preciso aumentar o número de terminais no país. "A necessidade maior é atender o fluxo de passageiros e de carga", ressaltou.

Ainda sobre o transporte de cargas, José Carlos Pereira disse que há risco de, em poucos anos, ocorrer um "apagão" no setor. Pereira contou aos deputados que a Infraero investe 48% de sua receita com pista e equipamentos e 52% nas áreas terminais.

O presidente da Infraero ainda criticou a postura dos controladores de vô…

Até aviões fogem de tiroteio

Batalha de traficantes mudou rota da ponte aérea. Jô Soares estava em uma das aeronaves
Andréia Lopes, Christina Nascimento e Fábio Dobbs – O DiaRio - A guerra do tráfico nos morros Chapéu Mangueira e da Babilônia, no Leme, alterou até a rota de aviões da ponte aérea Rio-São Paulo. Sexta-feira, registro feito no livro de ocorrência da torre de controle do Aeroporto Santos Dumont, no Centro, revela que pilotos mudaram o percurso das aeronaves devido ao intenso tiroteio na Zona Sul. Em um dos vôos estava o apresentador Jô Soares. É a primeira vez que esse desvio é feito devido à violência, segundo a Infraero.O humorista contou sobre a mudança do trajeto em seu programa, da Rede Globo, que foi ao ar ontem de madrugada. Ele saiu às 19h25 do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, num Boeing 737, da Gol, que tinha chegada prevista para 20h15. Jô Soares veio ao Rio para apresentar um espetáculo. “O avião atrasou 30 minutos porque teve que contornar o Leme em virtude de um intenso tiroteio”, c…

Diretor da Embraer descarta pane acidental no Legacy no acidente da Gol

Eugênia Lopes – Agência Estado
de Brasília
Em depoimento na Câmara à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a crise no setor de aviação, o diretor-presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado, afirmou nesta terça (5) que é "altamente improvável" que o transponder do jato Legacy que colidiu em setembro passado com um Boeing da Gol tenha sido desligado acidentalmente, como, por exemplo, por um esbarrão. O transponder é o equipamento que avisa um avião da aproximação de outra aeronave, para impedir colisões. Com o transponder desligado, o jato Legacy - fabricado pela Embraer - teria ficado cerca de uma hora sem comunicação com as torres, segundo investigação da Polícia Federal. Após a colisão, o Boeing caiu sobre a selva amazônica, no Estado de Mato Grosso, e 154 pessoas morreram. Fleury Curado, no depoimento que está prestando hoje à CPI da Câmara, afirmou ainda que todas as investigações feitas até agora indicaram que não houve falha nos equipamentos do avião d…

Embraer quer entrar na Tap Engenharia

Em entrevista, o vice-presidente da empresa brasileira revela interesse em Portugal.Sílvia de Oliveira, em S. Paulo - DiarioEconomicoA brasileira Embraer concorre com os gigantes Airbus e Boeing na aviação comercial, ocupando a terceira posição no ‘ranking’ mundial. Em Portugal, o fabricante de aviões controla a OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal. Em entrevista ao Diário Económico, na sede da Embraer, em S. José dos Campos, ao largo de S. Paulo, o vice-presidente Horácio Forjaz fez o ponto de situação dos projectos de investimento e das negociações com o Governo português.A aviação é um sector de ciclos. Qual a estratégia da Embraer para compensar os riscos?A Embraer está vivendo um período muito importante da sua história, de plena expansão. Temos uma posição assegurada no mercado de aviação comercial. A nova família de aviões Embraer ‘170’ e ‘190’ está plenamente estabelecida, apesar de a primeira unidade ter sido entregue há pouco tempo atrás. Já tem uma carteira importante d…

Buenos Aires teme tráfego aéreo

O terminal de Ezeiza sofre uma série de incidentes de segurança depois de reforma promovida por Kirchner

Jorge Marirrodriga - El País
Em Buenos Aires

Com quatro situações de colisão, três no ar e uma nas pistas do aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, nos últimos três meses, os argentinos vivem suspensos de uma polêmica causada em terra pela avaria de um radar e que provocou uma troca de acusações sobre insegurança aérea na qual intervêm o governo argentino, vários sindicatos e associações internacionais de aviação civil.

Em 1º de março, um raio avariou o radar principal do aeroporto de Ezeiza, e começava uma via crucis de acusações e incidentes que teve seu primeiro episódio apenas 15 dias depois, quando um avião da Aerolíneas Argentinas teve de realizar uma manobra de evasão para evitar o choque com um pequeno avião que vinha de frente. Uma semana depois, outro avião dessa companhia teve de repetir a manobra no céu do Chaco. Em 7 de maio, uma situação semelhante ocorreu em Córdoba entre…

Ondas ameaçadoras

Correio BrazilienseO tráfego aéreo brasileiro acumula transtornos que preocupam passageiros obrigados a recorrer ao avião para locomover-se. De um lado, há os problemas estruturais, cuja solução demanda planejamento estratégico e tempo para pôr as medidas em prática. De outro, os conjunturais, decorrentes de imprevistos que, embora não ofereçam riscos maiores, causam confusões capazes de tumultuar ainda mais o já tumultuado setor.É o caso das interferências de rádios comunitárias e piratas no sistema de comunicações. Na terça, Congonhas e Guarulhos precisaram interromper as operações durante seis minutos por causa dos ruídos que impediam o contato entre a torre e as aeronaves. Suspender pousos e decolagens nos dois aeroportos mais movimentados do país produz efeito dominó. Atrasam-se partidas e chegadas não só na capital paulista, mas também na maior parte dos estados brasileiros.O contratempo não é recente. Mas se agrava dia a dia. Vale a comparação. Em janeiro de 2006, a Aeronáutica…

Sata pode fechar

Aproximadamente 2 mil funcionários correm o risco de perder o emprego em mais uma crise financeira envolvendo uma empresa do antigo Grupo Varig. Desta vez é a Sata, companhia responsável pelos serviços de manutenção dos aviões, que padece com a falta de verba para pagar dívidas milionárias. Sem poder quitar as pendências no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que somam R$ 63,966 milhões, a Sata está prestes a perder, de uma só vez, 32 dos 59 contratos que possui para uso de áreas nos aeroportos, assinados com a Empresa de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).O problema está na impossibilidade de a Infraero renovar os contratos uma vez que a Sata é devedora do INSS. Da dívida na previdência, R$ 40 bilhões já estão inscritos na dívida ativa da União.Até hoje, a Sata mantém suas atividades nos aeroportos graças a liminares judiciais. Porém, a validade das decisões termina no dia 17 de junho. A partir dessa data, ou a empresa quita a dívida ou perderá a concessão.Mesmo com a i…

Justiça contraria Anac e estende prazo à Varig

Tribuna da ImprensaDepois de uma trégua de cerca de oito meses com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a 1ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio contrariou ontem, mais uma vez, uma determinação do órgão regulador da aviação brasileira. O juiz Luiz Roberto Ayoub, responsável pela recuperação judicial da Varig, estendeu para novembro o prazo para a companhia retomar vôos internacionais que deixou de operar, por causa de sua crise financeira. Para a Anac, o limite era o próximo dia 18."Concedi prazo até novembro porque não houve designação por parte da Anac. Como pode uma empresa iniciar vôos internacionais sem a designação?", questiona Ayoub. Ele referia-se ao direito de tráfego internacional que a Anac deveria ter transferido da Varig antiga para a nova Varig, cuja razão social é VRG. Isso deveria ter sido feito em novembro de 2006, quando a agência, em audiência na 1ª Vara, se comprometeu a fazer a designação, lembra Ayoub.Naquela época, no entanto, a Varig…

Cresce movimento em aeroportos

Tribuna da ImprensaSÃO PAULO - O movimento de passageiros nos 67 aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) cresceu 8,45% no primeiro quadrimestre de 2007 em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 36,5 milhões de passageiros embarcados e desembarcados, de janeiro a abril deste ano, contra 33,6 milhões, no mesmo período de 2006.O número de passageiros provenientes de vôos domésticos aumentou 10,71% nesses quatro meses, passando de 29,1 milhões para quase 32,2 milhões em 2007. A movimentação de passageiros internacionais registrou decréscimo de 5,99%. Só no mês de abril, a movimentação de passageiros apresentou aumento de 14,10% se comparado ao mesmo mês em 2006. Foram 9,5 milhões de passageiros embarcados e desembarcados em 2007 contra 8,3 milhões de passageiros embarcados e desembarcados no ano anterior.O movimento de aeronaves cresceu em 4,77% se comparado ao primeiro quadrimestre do ano passado, subindo de 626,4 mil pou…

A CPI das "barrinhas de cereal"

Tribuna da ImprensaBRASÍLIA - Convocado para depor na CPI do Apagão Aéreo da Câmara, o presidente da Gol, Constantino de Oliveira Júnior, viveu momentos constrangedores. Motivo: as barras de cereal distribuídas aos passageiros da companhia aérea, que se transformaram em centro de polêmica da comissão de inquérito criada para investigar o acidente que matou 154 pessoas no ano passado.Além de aproveitarem a presença do empresário para reclamar das barrinhas de cereal, os deputados usaram a audiência da CPI para tratar de questões pessoais como a dificuldade de comprar passagens promocionais da companhia aérea a R$ 50. Chegaram, inclusive, a pôr em dúvida a existência da promoção. "Será que não daria para mudar a filosofia da empresa e dar outra coisa que não barrinha de cereal?", indagou o deputado Vic Pires Franco (DEM-PA).Educado, Constantino - considerado pela revista norte-americana "Forbes" um dos homens mais ricos do mundo - sorriu. "Dá para ser umas barri…

Gol diz que trará aviões de 'última geração' para Varig

Daniel Rittner – Valor OnlineA Gol Linhas Aéreas pretende abrir consultas com a Boeing e a Airbus para renovar a frota de longo curso da Varig, comprada em março pela família Constantino. O objetivo é fazer uma concorrência entre as duas fornecedoras entre o fim de 2007 e o início de 2008 para adquirir aeronaves de última geração. Por enquanto, a Varig está sendo reaparelhada com aviões 767-300 da Boeing, mas dois novos modelos estão na mira da Gol: o 787-Dreamliner e o A350 (Airbus).A informação foi dada ao Valor pelo presidente da empresa, Constantino de Oliveira Junior, que falou sobre os planos de renovação da frota da VRG Linhas Aéreas. "Nós vamos estabelecer o 767 como base da frota em um primeiro momento", disse Constantino, lembrando que sete aeronaves desse modelo vão chegar e somar-se às duas já disponíveis, para retomar os vôos ao exterior."Em seguida pretendemos, tão logo seja possível, estabelecer uma concorrência entre os principais fabricantes para determ…

Anac pretende contestar alteração de prazos

Roberta Campassi – Valor OnlineA Agência Nacional de aviação Civil (Anac) pretende entrar com medida judicial contra a decisão proferida ontem pelo juiz Luiz Roberto Ayoub, da 1ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, que altera o prazo para que a Gol assuma rotas internacionais, de 18 de junho para meados de novembro.O argumento central da Anac é de que o juiz não tem mais competência para julgar questões referentes à VRG, a empresa que detém as concessões internacionais e foi comprada pela Gol em março.Por causa desse entendimento, a agência deve recorrer diretamente a uma instância federal – no caso, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (inclui Rio de Janeiro e Espírito Santo) - e não ao Tribunal de Justiça do Rio, instância acima do juiz Ayoub. A Anac interpreta que, por ser um órgão federal com leis federais, deve tirar a discussão da instância estadual.A decisão sobre quem tem razão - se a Gol ou se a Anac - dependerá principalmente de duas questões: qual a ligação entre a VRG …

Afronta aérea

Alfredo Sirkis
Nós, cariocas, já nos acostumamos à rota imposta pelas companhias aéreas à grande maioria dos vôos internacionais para ou da Europa e EUA, aquela famosa volta dos que não foram pela "rodoviária" de Guarulhos. Conquanto anti-geográfica, tem lógica econômica. Efetivamente, há um número maior de passageiros vindos da capital e do interior de São Paulo. O problema é que o aeroporto de Guarulhos não está à altura de servir de hub aeroportuário. Eu costumava reclamar, num certo tom de gozação, daquela prosaica prova paulista de que a terra é redonda. Refiro-me à rotina de Guarulhos de obrigar os passageiros, em trânsito, a dar uma volta completa pelo aeroporto para voltar às cabines de controle em ponto muito próximo ao portão no qual haviam desembarcado. Se para mim e outras pessoas, em boa forma física, isso é simplesmente motivo de divagação sobre os descaminhos da burrice humana, para pessoas idosas, com crianças pequenas ou com dificuldade de locomoção, constitu…

Presidente da Gol: situação da Sata preocupa

Na Câmara, Constantino Junior afirma que paralisação da prestadora de serviços em aeroportos afetaria setorCristiane Jungblut – O GloboBRASÍLIA e RIO. O presidente da Gol, Constantino de Oliveira Junior, afirmou ontem que a situação da Sata preocupa e que a paralisação de suas atividades - iminente, segundo reportagem publicada ontem no GLOBO - causaria transtornos às companhias, especialmente à Nova Varig. Mas o executivo ressaltou que esse cenário não provocaria um novo apagão aéreo. Constantino falou sobre a situação da empresa, que presta serviços em aeroportos e tem até o dia 17 para honrar dívida com o INSS e continuar operando no país, durante depoimento na CPI do Apagão Aéreo da Câmara.Ele lembrou que a Sata é a principal fornecedora de equipamentos de solo nos aeroportos do país e que a Nova Varig é integralmente atendida por ela. Daí o seu temor. Perguntado sobre a possibilidade de fechamento, respondeu: - Sim, me preocupo, porque a Sata é um grande fornecedor (em terra). Er…

Anatel fecha rádio pirata que interferia em Congonhas

Agentes da Anatel apreenderam equipamento de emissora 'Gospel'. Rádio também era conhecida como 'Virtual FM'.Do G1, em São Paulo
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) interrompeu e fechou uma rádio pirata que interferia nas transmissões do Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo. A emissora Gospel não outorgada foi lacrada na quarta-feira (30).

Desde que acionada pela Aeronáutica, na segunda-feira (21), a Anatel buscava a localização da fonte emissora da interferência na faixa de freqüência usada por pilotos e controladores de vôo naquela região da capital paulista.Rádio virtualA rádio pirata foi localizada no bairro do Grajaú, na Zona Sul. A emissora também era conhecida como “Virtual FM” e operava em 103,5 MHz. Seu transmissor, cuja potência tinha 300 watts, foi apreendido. O caso foi registrado no 85° DP (Jardim Mirna).

A lei estabelece que as rádios comunitárias tenham potência de, no máximo, 25 watts e altura do sistema irradiante não superior a 30…

Infraero deixou de repassar R$ 582 milhões à Aeronáutica, aponta TCU

Agência Brasil
Brasília - Entre 2000 e 2006, a Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) deixou de repassar ao Comando da Aeronáutica cerca de R$ 582 milhões. O resultado de auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) foi entregue à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo do Senado pelo procurador-geral do Ministério Público junto ao TCU, Lucas Rocha Furtado.
O principal problema, segundo Furtado, é a falta de clareza das regras. A verba correspondia às três tarifas cobradas pela Infraero e que deveriam ser encaminhadas, em parte, à Aeronáutica.
São as tarifas de uso das comunicações e dos auxílios à navegação aérea (TAN), a tarifa de uso das comunicações e dos auxílios rádio e visuais em área terminal de tráfego aéreo (TAT) e o adicional de tarifa aeroportuária (Ataero). Do total arrecado com as taxas, 8% são usados pela Infraero. Do restante, 41% permanecem com a empresa e 59% devem ser destinado ao Comando da Aeronáutica.
No entanto, uma lei de 1…

Aeronaves passam por susto

Aviões rompem limite de segurança em São Paulo e piloto faz desvio
O Dia
BRASÍLIA - A Aeronáutica admitiu ontem que dois aviões romperam a margem de segurança quando voavam sobre o interior de São Paulo no dia 22 de abril. Boeing da Gol que ia de Campinas para o Rio e aeronave da TAM que fazia trajeto São Paulo-Ribeirão Preto se aproximaram perigosamente perto de Atibaia. Diálogo divulgado por rádio mostra que um dos pilotos desviou para não colidir.
A Aeronáutica negou, no entanto, que as aeronaves tenham quase se chocado. O caso é investigado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo. Segundo as autoridades, os aviões chegaram a uma distância de 6,3 quilômetros quando a diferença de altitude era de 200 metros. O máximo permitido é de 7 quilômetros de separação horizontal e de 300 metros de vertical.
Ontem o delegado da Polícia Federal que apura o acidente, Renato Sayão Dias, depôs na CPI do Apagão no Senado. Segundo ele, os controladores de vôo tiveram conduta culposa no acidente …

Sistema aéreo brasileiro “não é infalível, mas é seguro”

Afirmação foi feita pelo presidente da Gol, Constantino Junior, aos mebros da CPI da CâmaraAgência Brasil
Brasília - O presidente da Gol, Constantino Junior, disse que os problemas enfrentados pelo setor aéreo não tornam o sistema inseguro. “Posso assegurar que o sistema é seguro. Não é infalível, mas é seguro”.
Entre os problemas, ele citou o gargalo que há em alguns aeroportos. Constantino advertiu que, caso não haja um tratamento de urgência, com a construção de novos terminais e pistas para pouso e decolagem, o aeroporto de Guarulhos em São Paulo será o próximo a ter problemas de estrutura.
Sobre a interferência de rádios ilegais na comunicação dos pilotos com a torre de comando, ele afirmou que “deve ser tratada com precaução”, mas não põe em risco o vôo. “[Nesses casos] o piloto troca a freqüência ou faz ponte com outras aeronaves”

Ele reclamou que os problemas no setor surgiram depois da queda do Boeing da Gol em setembro do ano passado e, desde então, o volume de atrasos tem aumen…