Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2007

TRF desiste de restrição em Congonhas; obras começam na próxima semana

Imagem
da Folha Online

O TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, desistiu de retomar, a partir da próxima semana, a decisão da Justiça Federal de São Paulo que vetaria a circulação de aeronaves modelos Boeing-737/700, Boeing-737/800 e Fokker-100 no aeroporto de Congonhas (zona sul de São Paulo). Apesar disso, obras em uma das pistas irão alterar o funcionamento do terminal.

De acordo com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), as obras de recapeamento na pista auxiliar começam na terça-feira (27) e têm duração prevista de 120 dias. Durante o período, Congonhas terá o horário de funcionamento estendido e irá operar das 5h30 à 0h30. Horários e freqüências de alguns vôos sofrerão mudanças.

Atualmente, o mau estado de conservação da pista principal de Congonhas obriga a Anac e a Infraero (estatal que administra os aeroportos) a suspender os pousos e decolagens sempre que chove forte e a lâmina de água acumulada sobre o asfalto ultrapassa 3 mm (um milímetro equivale a um litro de água por …

Gol é multada por atraso de mais de 10 horas

Vôo previsto para as 3h25 ainda não tinha saído às 14h. Companhia aérea não teria comunicado passageiros com antecedência.

Do G1, em São Paulo, com informações da Agência Estado

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autuou neste sábado (17) a companhia aérea Gol por causa de um atraso superior a dez horas no vôo 1815, que deveria ter saído de São Luís (MA) às 3h25 mas, até as 14h, ainda não havia decolado. A autuação foi feita porque a empresa aérea não comunicou o atraso aos passageiros com antecedência. Depois de decolar, o vôo 1815 da Gol deveria ter feito escala em Fortaleza (5h25) e Brasília, onde chegaria às 9h35, com destino final a Congonhas, em São Paulo. Os passageiros que estavam em Brasília e iriam para São Paulo embarcaram em outro vôo.

A Anac não soube informar o motivo do atraso nem o valor da multa a ser aplicada à empresa, esclarecendo que ainda está sendo verificado exatamente o que foi desrespeitado pela Gol. "O valor da multa ainda vai ser analisado pela Ger…

Atrasos atingem 44 vôos, diz Infraero

Número corresponde a 8,1% dos pousos e decolagens previstos para esta manhã. Entram no levantamento vôos com mais de 45 minutos de atraso.

Do G1, em São Paulo

A situação nos principais aeroportos brasileiros é bastante tranqüila nesta segunda-feira (19). Boletim divulgado nesta manhã pela Infraero mostra que 8,1% dos vôos têm mais de 45 minutos de atraso. Foram atingidos passageiros de 44 dos 544 pousos e decolagens previstos para o horário.

No domingo, até as 18h, das 995 operações prevista, 141 sofreram atrasos acima de 45 minutos (14% de atrasos). Já no sábado, foram 400 operações afetadas - 31,9% dos pousos e decolagens programados.

O boletim da Infraero não informa em quais aeroportos ocorrem os atrasos nem quais as companhias aéreas afetadas.

FAB vai instalar alarme em transponder e dar curso de inglês a controlador

Problemas com o equipamento do Legacy teriam contribuído para o acidente da Gol. Houve falhas de comunicação entre a torre de controle e pilotos.

Agência Estado

A Aeronáutica vai instalar um tipo de alarme sonoro e visual nas telas dos radares dos Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindactas) para alertar aos controladores de vôo em caso de desaparecimento do número do transponder que identifica um avião. A decisão ocorreu porque, na avaliação da Força Aérea Brasileira (FAB), a causa primordial da tragédia com o Boeing da Gol foi o fato de o transponder do jato Legacy não estar funcionando. Outra medida adotada foi matricular controladores em cursos de inglês.

A FAB acredita que o operador de plantão no Cindacta-1, centro de controle de Brasília, na tarde de 29 de setembro _quando aconteceu o acidente que deixou 154 mortos_ poderia ter evitado a tragédia, ainda mais se contasse com o recurso do alarme. Depois que o Legacy passou por Brasília, o operador demor…

Pilotos do Legacy tiveram problemas para falar com controle aéreo

Imagem
da Folha Online

Os diálogos gravados na caixa-preta do Legacy que bateu no Boeing da Gol e provocoua queda dele, em setembro passado, revelam que os pilotos Joseph Lepore e Jan Paladino tiveram problemas para compreender o que os controladores de tráfego aéreo brasileiros diziam, provavelmente devido ao idioma.

Trechos da transcrição foram divulgados neste domingo pela Folha, em reportagem da colunista Eliane Cantanhêde (exclusivo para assinantes).

O acidente, que matou 154 pessoas, é considerado o maior da história aeronáutica brasileira.

Em um dos trechos destacados na reportagem, os pilotos reclamam de, às vezes, receber uma "resposta simples". Confira parte do diálogo(os pilotos, na transcrição, são identificados como Hot 1 e Hot 2):

"Hot 1 - Eu quero dizer que algumas vezes eles nos dão uma resposta simples como... nós estávamos tentando pegar uma altitude antes de partirmos e houve isso. (...) Isso fica difícil alguma vezes...

Hot 2 - Ah, eles apenas ficam dizendo, voe …

Passageiros da Gol terminam viagem de ônibus

Escala em Ribeirão Preto foi cancelada e passageiros tiveram de pegar estrada. Companhia informou que decisão foi para recuperar tempo perdido.

Do G1, em São Paulo, com informações do Jornal Hoje

Passageiros do vôo 1905 da Gol, que partiu na madrugada deste sábado (10) do Recife com destino a São Paulo, tiveram de parar no meio do caminho e terminar a viagem de ônibus. O avião já saiu do Recife com duas horas de atraso e os problemas continuaram quando a primeira escala, em Ribeirão Preto, foi cancelada. Ao chegar a São José do Rio Preto, os 26 passageiros que deveriam ter descido em Ribeirão foram obrigados a desembarcar. Eles ficaram revoltados ao saber, no balcão da Gol, que teriam de seguir de ônibus. Sem alternativa, os passageiros do avião subiram no ônibus fretado pela Gol para encarar 220 quilômetros de estrada.

"Era pra gente ir pra Ribeirão direto. Isso aqui é pra economia deles e eles desrespeitam a gente, só isso”, disse uma passageira, ainda em São José do Rio Preto. “E…

Daimler-Chrysler reduz participação na EADS

Flávia Oliveira - Negócios & Cia - O Globo

FRANKFURT - A montadora Daimler-Chrysler vendeu um terço de sua participação na EADS, controladora da Airbus, a investidores e governos regionais da Alemanha, por 1,5 bilhão de euros (US$ 1,95 bilhão). Mas manterá 15% das ações da EADS e seu direito a voto na empresa.

Piloto e passageiro sobrevivem a queda de avião em Marajó

Ismael Machado - O Globo e O Globo Online

BELÉM - “O maior susto da minha vida”. Foi dessa forma que o passageiro Saulo José Rezende Araújo definiu as horas em que ficou perdido, junto ao piloto Francisco Soares Fonteles, no arquipélago do Marajó, depois que o avião em que viajavam, um monomotor, caiu e explodiu na quinta-feira de manhã, entre os municípios de Anajás e Chaves.

Os dois sobreviventes chegaram a Belém por volta do meio-dia dessa sexta-feira. Segundo a Aeronáutica, os dois passam bem e devem ser transferidos para um hospital de Belém.

Araújo e Fonteles foram encontrados de madrugada por agricultores em uma localidade chamada Ponta de Pedra, distante dois quilômetros de Anajás. O avião, que explodiu logo depois da queda, também foi encontrado. Os dois tripulantes conseguiram chegar a pé ao hospital do município.

Além do susto, Araújo praticamente salvou a vida do piloto, que teria desmaiado na hora do acidente e sido retirado por ele, minutos antes de o avião explodir.

Ainda nã…

Carnaval: Anac intensificará fiscalização em 15 aeroportos

Agência Nacional de Aviação Civil quer evitar que caos nos aeroportos se repita.Anac recomendou às companhias que reforcem suas equipes em terra e no ar.

Gustavo Tourinho
Do G1, em Brasília

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) irá intensificar a fiscalização em 15 aeroportos no feriado do carnaval - nos dias 15, 16, 17, 21, 22, 23, 24 e 25 de fevereiro - para tentar evitar que se repita o caos que atingiu o setor no Natal do ano passado. A informação foi divulgada por meio de nota oficial.

Os aeroportos a serem fiscalizados são os de Brasília, Rio de Janeiro (Galeão e Santos Dumont), São Paulo (Congonhas e Guarulhos), Salvador, Recife, Fortaleza, Natal, Florianópolis, Porto Alegre, Belo Horizonte, Manaus, Belém e Curitiba.

O órgão recomendou às companhias aéreas que reforcem não apenas as equipes nos aeroportos - para evitar deficiência no trabalho nos momentos de maior movimento -, mas, também, os quadros de pilotos e comissários.

A Anac espera, ainda, que as companhias aéreas reforc…

Relatório revela defasagem no número de controladores de vôo no Brasil

Última Instância

Relatório preliminar do MPT (Ministério Público do Trabalho) sobre as condições de trabalho dos controladores de vôo no país aponta a existência de clara defasagem entre o número atual de funcionários e a necessidade do setor. De acordo com o relatório, o tráfego aéreo cresce 9% ao ano, enquanto que a contratação de novos controladores cresce apenas 3%.

Além disso, o relatório indica que o trabalho dos controladores é estressante, com carga horária excessiva —além do horário previsto para a categoria—, e que não há área de repouso nos locais de trabalho. Segundo o procurador, as normais atuais impostas para a função fazem um controlador começar sua jornada 15 minutos antes do horário inicialmente previsto e estender seu horário por 15 minutos.

Os dados fazem parte do documento que está sendo preparado pelo procurador do trabalho Alessando Santos de Miranda. Ele realiza diligências no setor para apurar a situação dos controladores de vôo brasileiros. A Codemat (Coordenado…

Reforma da pista usará asfalto indevido, afirma engenheiro

DA SUCURSAL DE BRASÍLIA - FOLHA DE SÃO PAULO

A pista principal do aeroporto de Congonhas precisa há anos ser destruída e reconstruída. O governo deveria utilizar o chamado "asfalto ecológico", por ser um material de melhor performance para evitar alagamentos.

O diagnóstico e a sugestão foram dados pelo engenheiro Oswaldo Sansone, que estudou durante dois anos a aderência do asfalto das pistas de pouso de Congonhas.

A Infraero concorda com parte da avaliação de Sansone -por isso vem tentando licitar a reforma das pistas desde 20006. Sobre o asfalto, porém, decidiu pelo uso do comum.

Formado em engenharia de infra-estrutura aeronáutica pelo ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), Samsone diz que a pista principal de Congonhas precisa ter seu declive corrigido. Isso significa elevar a altura do meio da pista, para facilitar o escoamento da água.

Samsone vistoriou e realizou medições na pista de Congonhas para sua dissertação de mestrado. Hoje é consultor do aeroporto de Guarulho…

Cai a restrição a aviões em Congonhas

Com a decisão liminar, estão autorizados os pousos de Boeings e Fokkers que haviam sido proibidos pela Justiça Federal

Proibição, que passaria a vigorar hoje, afetaria 10 mil passageiros por dia; ordem para fechar o aeroporto em caso de chuva está mantida

AFRA BALAZINA - DA REPORTAGEM LOCAL
IURI DANTAS - DA SUCURSAL DE BRASÍLIA
PAULO DE ARAUJO - COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

O desembargador Antônio Cedenho, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, revogou ontem a proibição a aeronaves Boeing-737/700, Boeing-737/ 800 e Fokker-100 de pousar no aeroporto de Congonhas (zona sul de SP) a partir de hoje. A decisão, em caráter liminar, atendeu a recurso da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Mas o desembargador determinou que a pista principal seja fechada em caso de chuva forte e moderada para evitar aquaplanagem.

Ontem, por exemplo, Congonhas fechou às 20h10 em razão da chuva. Os transtornos se espalharam pelo país, segundo a Anac.

Às 22h20, a pista auxiliar estava liberada. A principal seguia…

TRF revoga decisão que barrava aviões grandes em Congonhas

Juiz havia determinado proibição de pousos e decolagens para 3 modelos de aviões. Para desembargador federal, medida 'viola os princípios da razoabilidade'.

Do G1, em São Paulo

O desembargador federal Antonio Cedenho acatou quarta-feira (7) recurso apresentado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e revogou a decisão que proibia que três modelos de aeronaves realizassem pousos e decolagens no Aeroporto Internacional de Congonhas a partir de quinta-feira. Com a decisão, Congonhas poderá voltar a receber os aviões modelos Fokker 100, Boeing 737-700 e 737-800.

O despacho contraria a determinação do juiz Ronald de Carvalho Filho, da 22ª Vara Cível Federal, que na segunda-feira (5) havia proibido operações dos três tipos de aeronave. A interdição para os três tipos de aeronaves aconteceu com base em pedido do Ministério Público Federal, que ainda não desistiu da interdição da pista principal do aeroporto. Em seu despacho desta quarta-feira, Cedenho diz que a decisão anterior &…

Restrição em Congonhas deve prejudicar principalmente OceanAir e Gol

da Folha Online
da Folha de S.Paulo

As companhias aéreas OceanAir e Gol devem ser as mais afetadas pela determinação do juiz-substituto Ronald Carvalho Filho, da Justiça Federal de São Paulo, que suspende, a partir da 0h de quinta-feira (8), a circulação de aeronaves modelo Fokker-100, Boeing-737/800 e Boeing-737/700 no aeroporto de Congonhas (zona sul de São Paulo). Notificada, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) afirmou que recorrerá da decisão.

Em nota, a OceanAir informou que dez de seus 20 aviões são Fokker-100, três são Fokker-50 e sete são Brasília. A Gol tem 65 aeronaves, todas Boeing 737, família à qual pertencem dois dos modelos vetados.

Uma das alternativas para o problema seria desviar os vôos afetados para os aeroportos de Guarulhos (Grande São Paulo) e Viracopos (Campinas-SP), segundo a diretora da Anac, Denise Abreu. Os dois terminais, no entanto, teriam capacidade para absorver apenas 30% do tráfego. "[Se o recurso não der certo] Vamos chamar todas as empresas …

Aviões barrados em Congonhas usam mais de 80% da pista

da Folha Online

Os aviões que estarão proibidos de transitar pelo aeroporto de Congonhas (zona sul de São Paulo) a partir da 0h de quinta-feira (8) utilizam mais de 80% da pista do terminal ao realizar decolagens ou pousos, de acordo com os dados enviados pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) à Justiça Federal.

Em sua sentença, o juiz-substituto Ronald Carvalho Filho, que proibiu o acesso de aeronaves Fokker-100, Boeing-737/800 e Boeing-737/700 ao aeroporto, afirma que resta menos de 388 metros de pista quando estes modelos pousam ou decolam, o que seria inseguro. Segundo ele, os modelos deixam apenas 378, 308 e 356 metros livres, respectivamente.

Os outros modelos analisados pelo magistrado com base nos dados da Anac são o Boeing 737/300, o A-319 e o A-320. Eles deixam, em média, 476, 603 e 447 metros remanescentes, respectivamente.

Um dos modelos que circula pelo aeroporto, o Boeing 737/400, não foi analisado por falta de informações. A Anac deverá entregá-las nos próximos dias.

Juiz barra Fokker e Boeing em Congonhas; Anac vai recorrer

IURI DANTAS
da Folha de S.Paulo, em Brasília

O juiz-substituto Ronald Carvalho Filho, da Justiça Federal de São Paulo, determinou na segunda-feira (5) a suspensão de todos os vôos realizados por aeronaves modelo Fokker-100, Boeing-737/800 e Boeing-737/700 no aeroporto de Congonhas (zona sul) a partir da 0h de quinta (8). Notificada, a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) afirmou que recorrerá da decisão.

A proibição dos vôos pode causar novo caos nos aeroportos de todo o país às vésperas do Carnaval. Todas as companhias aéreas são afetadas em maior ou menor medida. Os vôos da ponte aérea, por outro lado, devem continuar operando normalmente, pois utilizam aviões de outros modelos.

Se a decisão do juiz for mantida, Varig, BRA e Gol reduzirão sensivelmente seu tráfego no principal aeroporto do país. A Ocean Air opera com Fokker-100. A TAM, líder do mercado brasileiro, poderia continuar somente com seus Airbus e não mais com os Fokker-100 de sua frota.

Segundo a diretora da Anac, Denise A…

Falta de equipamentos de segurança paralisa aeroporto em MG

Média de passageiros que passam pelo terminal de Araxá é de 25 por dia. Secretário de Turismo planeja reforma e instalação de novos equipamentos.
Da Globominas.com
O aeroporto de Araxá, em Minas Gerais, está praticamente parado. A infra-estrutura do local não segue as normas de uma resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e muitos vôos que passavam pelo local tiveram que ser cancelados. O terminal está operando com apenas uma linha. A média de passageiros é de 25 por dia.

Há três anos, aviões fretados com mais de 60 lugares pousavam em Araxá trazendo turistas de São Paulo. Mas, por questões de segurança, a Anac proibiu o tráfego desse tipo de aeronave em locais que não tivessem equipamentos de raio-X. Como o aeroporto da cidade mineira ainda está fora dos padrões, os vôos precisaram ser suspensos. A exigência faz parte de uma resolução de 2005 do Departamento de Aviação Civil (DAC), hoje Agência Nacional de Aviação Civil. A medida tem como objetivo evitar at…