Air France decide trocar sensores de velocidade

Companhia segue recomendação do construtor Airbus e determinação da Agência Europeia de Segurança Aérea, e resolve substituir sondas pitot Thales (francesas) por Goodrich (americanas)

Jornal do Commércio

PARIS – A companhia aérea Air France anunciou ontem que vai substituir pelo menos dois dos três sensores de velocidade pitot em seus aviões A330 e A340, conforme recomendado pelo construtor Airbus e determinado pela Agência Europeia de Segurança Aérea (Aesa). As sondas pitot da marca Thales serão trocadas por sensores fabricados pela americana Goodrich. A Aesa havia anunciado antes que ordenaria a substituição dos sensores devido à suspeita de eles terem influenciado no acidente com o voo 447, que caiu no Oceano Atlântico em 31 de maio e resultou na morte das 228 pessoas.

As aeronaves A330 e A340 deverão ser equipadas com pelo menos dois sensores pitot produzidos pela Goodrich, o terceiro sendo opcional, Goodrich ou Thales, mas este caso deverá ser do tipo BA, mais recente que o AA. “Os três tipos de sensores respeitam os critérios de segurança em vigor”, destacou a Aesa, falando em precaução. Está sendo elaborada uma proposta detalhada do texto para ser publicada até em 14 dias, prossegue a organização com sede em Colônia, Alemanha, e encarregada da certificação dos aviões na Europa.

A Airbus recomendou no mesmo dia que as companhias aéreas realizassem essa substituição que diz respeito a cerca de 200 aviões de uma frota de mil aparelhos dos modelos de longo alcance A330 e A340. As demais aeronaves já estão equipadas com as sondas Goodrich, segundo a Airbus.

“Enviamos uma carta a todos os nossos operadores para recomendar que substituam em sua frota de A330 e A340 as sondas pitot Thales por pitot Goodrich”, afirmou um porta-voz.

Após o acidente com o voo 447 da Air France, que fazia a linha Rio de Janeiro–Paris, “pedimos a nossos cientes que nos informassem sobre os resultados de suas sondas pitot”, comentou. “Por precaução, a Airbus emitiu essa recomendação depois dos informes das companhias aérea”, acrescentou.

Os sensores pitot foram questionados por vários sindicatos após o acidente do voo 447, e a Air France acelerou a substituição dos sensores pelos modelos mais recentes.

O Sindicato dos Pilotos de Linhas Comerciais (SNPL), majoritário na Air France já havia pedido a substituição dos sensores pitot da marca Thales por sensores Goodrich em toda a frota da companhia.

Anteontem um Airbus A330 da Air France que partiu de Paris rumo a Duala, em Camarões, foi obrigado a voltar ao Aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, por causa de um defeito no sistema de arcondicionado.

A anomalia provocou o aparecimento de uma leve fumaça na cabine. Por isso, o avião retornou meia hora após decolar, com 184 passageiros.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Embraer e Japan Airlines estendem programa de peças de reposição da frota de E-Jets

Aviação russa fará voo de observação sobre os EUA