Pular para o conteúdo principal

Pilotos e tripulantes têm mais risco de contrair câncer de pele, diz estudo

Análise fez revisão de 19 estudos com 266 mil pessoas.
Maior incidência é atribuída a maior exposição aos raios ultravioletas do sol.


France Presse

Os pilotos de avião e a tripulação de companhias aéreas têm o dobro do risco de desenvolver câncer de pele, em comparação ao restante da população - revela um estudo publicado nesta quarta-feira (3).

Os resultados de uma análise de 19 estudos realizados com 266 mil pessoas mostraram que o risco de melanoma, um câncer de pele comum, é duas vezes maior em pilotos, aeromoças e comissários de bordo.

Essa incidência particularmente elevada é atribuída a uma maior exposição aos raios ultravioletas do sol que atravessam o para-brisas e as janelas dos aviões, explicaram os autores.

Os trabalhos, divulgados no periódico especializado "Journal of the American Medical Association" ("Jama"), "têm importantes implicações para a Medicina do Trabalho e para a proteção desse grupo profissional", afirmou a principal autora do estudo, Martina Sanlorenzo, da Universidade da Califórnia de São Francisco.

A 9 mil metros de altitude, faixa da maioria dos aviões comerciais, a intensidade dos raios ultravioletas tem uma ação cancerígena estabelecida, lembram os pesquisadores.

Esses níveis são ainda maiores, quando os aviões voam sobre espessas camadas de nuvens, que podem, em um efeito espelho, devolver até 85% dos raios ultravioletas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia investiga acidente com helicóptero em Itupeva

A polícia começou a ouvir os funcionários da fazenda que prestaram socorro às vítimas no interior paulista. Câmeras de segurança mostram o momento do acidente. O helicóptero vinha de Paraty.


Avião cai e mata dois

A queda de um bimotor que fazia a rota Teresina-Recife, com dez pessoas a bordo, provocou pânico em San Martin. Oito passageiros ficaram feridas


Um avião bimotor, modelo King Air B200, que retornava de Teresina, no Piauí, com dez pessoas a bordo, a maioria empresários pernambucanos, caiu às 11h15 de ontem, no bairro de San Martin, na Zona Oeste do Recife, e por pouco não provocou um dos maiores acidentes aéreos da história de Pernambuco. O piloto morreu na hora e um dos passageiros, a caminho do hospital. As outras oito pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave. O número de mortos e feridos, entretanto, não foi maior graças à habilidade do piloto. Os 25 anos de experiência permitiram que salvasse diversas famílias que passavam o domingo em casa, nas estreitas ruas do bairro, com 23 mil habitantes.

Sete casas foram atingidas, mas havia moradores em apenas duas delas. Uma dona de casa sofreu arranhões leves. O piloto Eurico Pedrosa Neto, 47 anos, que quebrou o pescoço no acidente…

Destroços de avião desaparecido há uma semana são localizados

Em Valença, no estado do Rio de Janeiro, foram encontrados os destroços do avião que estava desaparecido desde o dia 30 de janeiro. Os corpos de um empresário e de sua família também foram vistos.