PUC-Rio cria simulador de voo do centenário Demoiselle

Ultraleve criado por Santos Dumont em 1909 inspira pesquisadores

Marcelo Gigliotti – Jornal do Brasil

Simuladores de voo on-line têm muito por aí, em qualquer loja de produtos de informática. Mas, certamente, o que foi desenvolvido por estudantes e alunos da PUC carioca daria uma enorme satisfação e sentido de reconhecimento daquele que é considerado o pai do aviação, o brasileiro Santos Dumont. Afinal, este pessoal da PUC usou como modelo para o programa a lendária aeronave Demoiselle 19, considerada o primeiro ultraleve da história e que decolou pela primeira vez em 1909, há redondos cem anos.

Plataforma

Os pesquisadores da PUC do Rio desenvolveram um experimento que reproduz por meio de computadores os movimentos que o Demoiselle faria se estivesse em voo. Para isso, uma réplica em escala da aeronave foi instalada sobre uma plataforma com seis braços mecânicos conectados ao aeromodelo.

Estes braços mecânicos, acionados por um programa de computador, movem a mini Demoiselle. Que, na verdade, nem é tão mini assim: sua envergadura é de um metro.

Na tela do computador que controla o voo, há também uma réplica virtual, pilotada, como nos videogames comuns, por um joystick. Ao simular manobras áereas no computador, o modelo tridimensional acompanha os movimentos.

– Na verdade, como está presa a uma plataforma mecânica, a réplica do Demoiselle tem movimentos mais restritos, mas reproduz as principais tendências do voo da aeronave – diz o idealizador do projeto, o professor do Departamento de Engenharia Mecânica da PUC-Rio, Mauro Speranza Neto.

O projeto usou como base o programa de simulador de voo chamado Real Flight.

– Mas o Demoiselle não era um dos modelos de aeronave do programa. Nós montamos o modelo virtual em cima de plantas originais de Santos Dumont pesquisadas na internet – comenta o professor.

A engenhoca, batizada oficialmente de "Simulador de Movimentos para Ensino e Aprendizado dos Fenômenos Relativos ao Voo de Aeronaves", ficou pronta há um ano.

– Usando o equipamento temos a sensação de estamos dentro da cabine do piloto, tal qual o próprio Santos Dumont – diz Speranza.

O projeto foi apresentado em eventos científicos e levado para mostras em escolas de ensino médio no Rio. Ele pode ser visitado no Laboratório de Controle e Automação da PUC.

– Trata-se de um equipamento mecatrônico por excelência, por envolver mecânica, eletrônica e computação – ensina o mestre.

A réplica do aeromodelo foi montada pelos estudantes Sergio Santiago Ribeiro, Ana Carolina Iglezias Lima Caldas, Guilherme Faria de Miranda e Pedro Bittencourt e Silva. Outro aluno da PUC, Allan Nogueira Neto, desenvolveu a parte dos controles mecânicos que fazem o aviãozinho se mover.

– Foi interessante trabalhar com o Demoiselle porque é mais fácil entender a mecânica de voo de aeronaves com mecanismos mais básicos – diz Allan, ele mesmo um apreciador de games que simulam voos ou corridas de carro.

O próximo projeto do professor Speranza é criar uma cadeira simuladora, na verdade uma cadeira de cabine de aeronave, que reproduziria o movimento de aviões em voo.

– Este tipo de projeto é fundamental para reforçar o aprendizado sobre a dinâmica não só do voo, como do movimento em geral, e formar pessoal capacitado para desenvolver equipamentos mecatrônicos – comenta o professor.

O Demoiselle 19 de verdade foi desenvolvido por Santos Dumont três anos após o histórico voo do 14-Bis. Foi a primeira aeronave produzida em série no mundo. Cem anos depois, ainda inspira voos mais ousados em direção ao conhecimento e à formação de novos inventores.

2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aviação russa fará voo de observação sobre os EUA