Pular para o conteúdo principal

Presença de drone no entorno de Congonhas fez aeroporto fechar por 20 minutos nesta terça

Condutor do drone não foi localizado. Ao menos 16 voos atrasaram no aeroporto entre as 13h10 e 14h, mas Infraero não confirma que motivo seja a interrupção das operações.


Por Marina Pinhoni e Ricardo Gallo | G1 SP — São Paulo

A presença irregular de um drone nas proximidades do aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, interrompeu as operações no terminal por 20 minutos no início da tarde desta terça-feira (8).

Foto de arquivo da visão aérea do aeroporto de Congonhas  — Foto: TV Globo/Reprodução
Foto de arquivo da visão aérea do aeroporto de Congonhas — Foto: TV Globo/Reprodução

Segundo a Força Aérea (FAB), que é responsável pelo controle do tráfego aéreo do aeroporto, as aproximações para pouso foram suspensas no local entre 13h10 e 13h30.

De acordo com a Infraero, foram registrados 16 voos com atrasos acima de 30 minutos entre as 13h10 e 14h da terça-feira. A operadora do aeroporto afirma, no entanto, que o motivo dos atrasos não têm necessariamente a ver com o fechamento. Atrasaram no período, segundo a Infraero:

  • 10 chegadas: Gol voos nº 1489, 1665, 1567,1513, e 1429; Latam voos nº 3927, 3705 e 3101; Azul voo nº 2602; Avianca voo nº 6035
  • 6 partidas: Gol voos nº 9302,1536,1490,1500 e 1452; Latam voo nº 3244
A Polícia Federal foi acionada para apurar o caso, mas quando chegou ao local onde o drone estava, o voo já havia sido suspenso e o operador do aparelho não foi localizado.

De acordo com a legislação, drones não podem sobrevoar áreas em um raio de 9 km de um aeroporto, incluindo as zonas de aproximação e de decolagem. Para sobrevoar fora dessa área, há necessidade de autorização do Departamento de Controle do Tráfego Aéreo (Decea).

Quem descumpre a lei pode ser penalizado por colocar a vida de outras pessoas em perigo, expor perigo a uma aeronave e impedir ou dificultar a navegação aérea. Os crimes estão previstos nos artigos 132 e 261 da lei nº 2848 do Código Penal e também no artigo 35 do decreto-lei nº 3.688 da Lei das Contravenções Penais.

Outro caso

Não é a primeira vez que um drone provoca o fechamento do Aeroporto de Congonhas. Em 12 de novembro de 2017, um drone desviou pousos, cancelou voos e atrapalhou conexões de centenas de passageiros no em Congonhas. O problema afetou o funcionamento do terminal por mais de duas horas, entre as 20h15 e as 22h40. Naquela ocasião, cerca de 35 voos que aterrissariam em Congonhas foram desviados para outros aeroportos, como Cumbica (Guarulhos), Viracopos (Campinas), Ribeirão Preto e até outros estados, mas as decolagens não chegaram a ser interrompidas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avião cai e mata dois

A queda de um bimotor que fazia a rota Teresina-Recife, com dez pessoas a bordo, provocou pânico em San Martin. Oito passageiros ficaram feridas


Um avião bimotor, modelo King Air B200, que retornava de Teresina, no Piauí, com dez pessoas a bordo, a maioria empresários pernambucanos, caiu às 11h15 de ontem, no bairro de San Martin, na Zona Oeste do Recife, e por pouco não provocou um dos maiores acidentes aéreos da história de Pernambuco. O piloto morreu na hora e um dos passageiros, a caminho do hospital. As outras oito pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave. O número de mortos e feridos, entretanto, não foi maior graças à habilidade do piloto. Os 25 anos de experiência permitiram que salvasse diversas famílias que passavam o domingo em casa, nas estreitas ruas do bairro, com 23 mil habitantes.

Sete casas foram atingidas, mas havia moradores em apenas duas delas. Uma dona de casa sofreu arranhões leves. O piloto Eurico Pedrosa Neto, 47 anos, que quebrou o pescoço no acidente…

Avião colide com ave em pleno voo e assusta passageiros (vídeo)

Com a colisão, o vidro do pára-brisas da aeronave ficou destruído, deixando o co-piloto com ferimentos leves
O Dia

Fortaleza - Um avião de pequeno porte que fazia a rota entre Fortaleza e Teresina, no último domingo, colidiu com uma ave durante o voo. Com a colisão, o vidro do para-brisa da aeronave ficou destruído, deixando o copiloto com alguns ferimentos leves no rosto.

Vidro do para-brisa de avião quebrou ao bater em ave
De acordo com o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáutico (Cenipa), a aeronave manteve a rota e pousou com segurança no destino.


Destroços de avião desaparecido há uma semana são localizados

Em Valença, no estado do Rio de Janeiro, foram encontrados os destroços do avião que estava desaparecido desde o dia 30 de janeiro. Os corpos de um empresário e de sua família também foram vistos.