Copa: voos para dia de jogo estão até 626% mais caros

Tarifa Rio-São Paulo passa de R$ 152 para R$ 1.104,46 na abertura do Mundial

Marcio Beck | O Globo


Quem tentou garantir antecipadamente a viagem para os principais jogos da Copa — a abertura e a final, em São Paulo e no Rio, respectivamente, e os jogos do Brasil em Brasília e Fortaleza — se deparou nos últimos quatro meses com preços de passagens até 626% mais altos que o normal, segundo levantamento feito pelo site Mundi, obtida com exclusividade pelo GLOBO.

O Mundi considerou os menores preços encontrados em pesquisas realizadas entre julho e outubro, partindo das cidades onde a procura havia sido maior. Para efeito de comparação com os valores cobrados para dias de jogo (em junho e julho do ano que vem), o site especializado simulou uma viagem para o começo de dezembro, marcada com um mês de antecedência.

Na maioria dos casos, as passagens para a Copa custariam pelo menos o dobro de uma viagem fora do Mundial (no caso do levantamento, em dezembro). Para a abertura, uma ponte Rio-São Paulo, de R$ 152 em um voo normal, passou para R$ 1.104,46 para quem comprou em setembro, a maior variação registrada, de 626%. A menor diferença foi de 11% nos voos Recife-São Paulo — de R$798 para R$885,71.

— Quando se marca uma viagem "para frente" geralmente o preço fica mais baixo, mas não foi o que vimos. Trinta dias de antecedência não é sequer o prazo ideal para ter os melhores preços, e mesmo assim as discrepâncias (de dezembro em comparação à Copa) foram significativas — diz o diretor de Marketing do Mundi, Rodrigo Weissman.

Alguns trechos tiveram queda de setembro para outubro, o que Weissman atribui a promoções.

"Aumento injustificável"

A expectativa do governo e das aéreas é de que os preços recuem em janeiro, após a apresentação de um plano especial para remodelar a malha aérea com base na demanda pelas partidas, que serão decididas em sorteio no dia 6.

Segundo o presidente da Embratur, Flávio Dino, as empresas terão 15 dias, a contar do sorteio, para propor mudanças no sistema a fim de melhorar a oferta de voos. A Embratur enviou ofícios, segundo Dino, para a Secretaria de Aviação Civil (SAC) e para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pedindo abertura de processos administrativos para investigar "eventuais irregularidades":

— Não há nada que justifique aumentos dessa magnitude.

A SAC informou que não se manifestaria sobre o tema até janeiro. A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) disse que o assunto dos preços foi "superado" em reunião com o Ministério da Justiça, a Secretaria Nacional do Consumidor, a SAC, e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no dia 31.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avião de pequeno porte cai no mar em Paraty, na Costa Verde do Rio

American Airlines não leva brasileiros para réveillon em Nova Iorque

4 ficam feridos em pouso brusco de helicóptero na plataforma da Petrobrás