Pular para o conteúdo principal

Santos Dumont tem voos cancelados e atrasados após nevoeiro

Às 15h, 52 voos estavam atrasados.
Aeroporto chegou a ficar totalmente fechado às 7h40.


Mariucha Machado
Do G1 Rio

Pelo segundo dia consecutivo a forte neblina atrapalhou o funcionamento do Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio. O terminal ficou completamente fechado por aproximadamente 30 minutos nesta segunda (13), entre 7h e 8h. Segundo a assessoria do aeroporto, às 15h os voos eram operados no visual para pousos e decolagens. E segundo a Infraero, no mesmo horário, haviam 52 atrasados e 22 cancelados.

O saguão do aeroporto estava lotado às 10h30 e, com o terminal cheio, passageiros diziam que o aparelho de ar condicionado não estava dando vazão. Funcionários da Infraero tentavam organizar as longas filas que se formavam nos balcões de check-in, mas muitos passageiros reclamavam da falta de informação.

"Isso aqui é uma zona generalizada, ninguém sabe informar quando será o voo, dar uma previsão", queixou-se o advogado Marcos Soares.

"Eu não sei o que eu faço, eu preciso saber o que acontece se eu for embora, eu perco a minha passagem? Eu estou perdendo coisas importante, nesse aeroporto não tem nem Wi-fi", reclamou o passageiro João Neves.

No domingo (12), o aeroporto ficou fechado por quatro horas por causa do forte nevoeiro. Segundo a meteorologia, uma frente fria está se aproximado do estado e está provocando o fenômeno.

Nesta segunda, o aeroporto ficou fechado porque, devido ao nevoeiro, estava abaixo das condições mínimas de segurança desde o início das operações, às 5h. O equipamento usado quando o aeroporto está funcionando por instrumentos é o Instrument Landing Sistem (ILS). Após a orientação da torre, cabe o piloto decidir se quer ou não fazer o pouso.

Até as 8h, seis voos da Tam haviam sido desviados, sendo cinco chegadas e uma partida, e o saguão de embarque tinha movimento intenso, com filas de check-in. O Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, funcionava com o auxílio de instrumentos para pousos e decolagens no início da manhã.

Segundo a assessoria de imprensa da Infraero, o Santos Dumont ficou fechado por 53 horas e 12 minutos em 2013; o número corresponde a 0,8% do total de operações do ano. Entre os meses de janeiro e setembro de 2014, o aeroporto operou abaixo dos mínimos por 17 horas e 30 minutos.

Quando um aeroporto opera “abaixo dos mínimos” significa que, segundo a torre de controle local, as condições de visibilidade e altura estão abaixo do mínimo ideal para realização de operações de pouso e decolagem. A operação por instrumento significa que pousos e decolagens são realizados com o auxílio de instrumentos de navegação aérea.

Segunda-feira quente

A temperatura máxima na capital fluminense nesta segunda será de 37ºC e o calor já começava a incomodar os passageiros de manhã. "Não está um calorão, mas podia estar mais fresquinho. Hoje está cheio demais aqui [aeroporto]", contou a administradora Suely Bastos.

No domingo, o Santos Dumont amanheceu fechado para pousos e decolagens por causa do forte nevoeiro na cidade. Durante a manhã, cerca de cinco voos haviam sido cancelados. Não saíram do Santos Dumont aviões para Brasília, São Paulo, Belo Horizonte e Campinas. Já o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), operava por instrumentos para pousos e decolagens.

Orientação

Em razão dos fechamentos do Santos Dumont, a GOL orienta os clientes dos voos que partem ou se destinam a este aeroporto nesta segunda a entrarem em contato com o SAC pelo telefone 0800 704 0465 para verificar a situação de seus voos.

A companhia reitera que os clientes podem optar por remarcação dos voos sem taxas ou solicitarem reembolso integral de suas passagens pelo telefone (0300-1152121) ou internet (www.voegol.com.br).


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avião cai e mata dois

A queda de um bimotor que fazia a rota Teresina-Recife, com dez pessoas a bordo, provocou pânico em San Martin. Oito passageiros ficaram feridas


Um avião bimotor, modelo King Air B200, que retornava de Teresina, no Piauí, com dez pessoas a bordo, a maioria empresários pernambucanos, caiu às 11h15 de ontem, no bairro de San Martin, na Zona Oeste do Recife, e por pouco não provocou um dos maiores acidentes aéreos da história de Pernambuco. O piloto morreu na hora e um dos passageiros, a caminho do hospital. As outras oito pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave. O número de mortos e feridos, entretanto, não foi maior graças à habilidade do piloto. Os 25 anos de experiência permitiram que salvasse diversas famílias que passavam o domingo em casa, nas estreitas ruas do bairro, com 23 mil habitantes.

Sete casas foram atingidas, mas havia moradores em apenas duas delas. Uma dona de casa sofreu arranhões leves. O piloto Eurico Pedrosa Neto, 47 anos, que quebrou o pescoço no acidente…

Avião colide com ave em pleno voo e assusta passageiros (vídeo)

Com a colisão, o vidro do pára-brisas da aeronave ficou destruído, deixando o co-piloto com ferimentos leves
O Dia

Fortaleza - Um avião de pequeno porte que fazia a rota entre Fortaleza e Teresina, no último domingo, colidiu com uma ave durante o voo. Com a colisão, o vidro do para-brisa da aeronave ficou destruído, deixando o copiloto com alguns ferimentos leves no rosto.

Vidro do para-brisa de avião quebrou ao bater em ave
De acordo com o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáutico (Cenipa), a aeronave manteve a rota e pousou com segurança no destino.


Destroços de avião desaparecido há uma semana são localizados

Em Valença, no estado do Rio de Janeiro, foram encontrados os destroços do avião que estava desaparecido desde o dia 30 de janeiro. Os corpos de um empresário e de sua família também foram vistos.