Movimento no aeroporto de Palmas cresce cerca de 5 vezes em dez anos

Desenvolvimento da economia no estado provocou o crescimento.
Em 2003, 122 mil pessoas passaram pelo local, em 2013 foram 563 mil.


Do G1 TO

O movimento de passageiros no aeroporto Brigadeiro Lysias Rodrigues, em Palmas, cresceu aproximadamente 460% nos últimos dez anos. Em 2003, pouco mais de 122 mil pessoas embarcaram ou desembarcaram em voos que passaram pelo aeroporto da capital tocantinense. Já em 2013, mais de 563 mil pessoas utilizaram o terminal. De acordo com o economista especializado em logística e conselheiro do Conselho Regional de Economia (CORECON-TO), Vilmar Carneiro Wanderley, o aumento de movimentação no aeroporto reflete o crescimento econômico do estado.

O maior aumento foi registrado entre os anos de 2009 e 2010 (veja tabela abaixo). Neste período o número de passageiros aumentou em 30%. Este número pode ser reflexo do aumento no número de voos. Em 2009, 11603 aeronaves fizeram pousos e decolagens no aeroporto de Palmas. Em 2010, 17161 aeronaves passaram pelo local.

De acordo com o superintendente do aeroporto de Palmas, Afrânio Souza Mar, até 2009 apenas duas companhias aéreas operavam voos comerciais na capital. Em 2010, outras três passaram a operar voos na cidade.

Para o economista, diversos fatores contribuíram para o movimento no aeroporto. “O primeiro deles era a ausência de meio de conexão nessa região do país. Diversos profissionais que já estavam aqui precisavam do serviço, mas não o tinham. É o que chamamos de demanda reprimida”, explica Wanderley.

Para o economista, o crescimento da produção agrícola no estado foi outro fator que fez crescer o fluxo no aeroporto. Ele explica que o setor de pecuária era um dos mais fortes na economia do estado, mas a produção de grãos vem crescendo nos últimos anos. “Com este crescimento na produção você tem um fluxo maior de pessoas que vem plantar, vender máquinas e sementes, consertar máquinas. Enfim, fazer coisas ligados à agricultura”, explica.

Wanderley acredita que a construção do trecho da ferrovia Norte-Sul no Tocantins também pode ter aumentado o trânsito de pessoas no aeroporto da capital.

Os outros dois fatores apontados pelo especialista estão ligados ao comércio do Tocantins, como a chegada simultânea de grandes supermercados na capital há cerca de quatro anos. O comércio eletrônico movimentou também o setor de cargas aéreas. “O estado oferece um incentivo fiscal para que lojas virtuais se instalem aqui. A contrapartida é que as empresas tem que despachar as mercadorias a partir do Tocantins”, explica Wanderley.

Apesar do crescimento acelerado, o aeroporto ainda trabalha com metade da sua capacidade máxima de operação, conforme informou o superintendente do terminal. Segundo Afrânio, atualmente os funcionários das companhias aéreas e da Infraero utilizam doze horas por dia para operacionalizar todos os pousos e decolagens no local. A capacidade do terminal de passageiros também não foi comprometida. “A Infraero projetou o terminal para receber 2 milhões de passageiros por ano”, explica Afrânio. Nos últimos três anos, o público foi de mais de 500 mil pessoas.

O superintendente explica que algumas medidas foram tomadas para comportar o crescimento dos últimos anos. “Em 2012 nós aumentamos a capacidade da sala de embarque em 60% para conseguirmos operar duas partidas simultâneas. Ainda este ano nós vamos ampliar em mais 60%”, afirma o superintendente.

Afrânio também atribui o crescimento do fluxo de aeronaves a outro incentivo fiscal. “O governo do estado reduziu as alíquotas para o combustível [dos aviões] para viabilizar o aumento número de voos comerciais em Palmas”, explica.

AnoAeronavesPassageiros
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006
2005
2004
2003 
19172
18266
17534
17161
11603
12104
10192
13320
10326
9887
9641
563488
579395
503408
389217
298484
259362
232885
228320
215333
170514
122346
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Embraer e Japan Airlines estendem programa de peças de reposição da frota de E-Jets

Aviação russa fará voo de observação sobre os EUA