Gol reduz prejuízo no 2º trimestre para R$ 433 milhões

Do UOL, em São Paulo

A Gol (GOLL4), segunda maior empresa aérea brasileira em participação de mercado, conseguiu reduzir seu prejuízo no segundo trimestre deste ano em quase 40%, na comparação com igual período de 2012, e melhorou a expectativa para custos neste ano.

Entre abril e junho, a empresa teve prejuízo de R$ 433 milhões, uma redução de 39,5% sobre igual período do ano passado, apoiada em recursos adicionais com a venda antecipada de passagens para a unidade Smiles, que em abril levantou R$ 1,3 bilhão com sua entrada na Bolsa de Valores (oferta pública inicial de ações, IPO na sigla em inglês).

Além disso, o resultado recebeu impulso de aumento de preços de passagens e redução de custos com combustível e pessoal, depois que a empresa cortou voos e funcionários.

O Ebitdar (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e aluguel de aeronaves) totalizou R$ 235,1 milhões entre abril e junho, revertendo o valor negativo em R$ 62,4 milhões um ano antes.

A receita líquida da empresa totalizou R$ 1,914 bilhão no trimestre, alta de 4,6% sobre um ano antes, que a companhia atribuiu ao aumento de 13% no yield (o valor médio pago por passageiro por quilômetro voado).

O prejuízo operacional (Ebit) ficou em R$ 35 milhões, também melhor que a perda de R$ 320 milhões registrada no mesmo período do ano anterior. A margem Ebit ficou negativa em 1,8%, ante menos 19,4% no segundo trimestre de 2012.


Estimativas

A companhia manteve previsão de margem operacional entre 1% e 3% anunciada no início deste ano, depois de terminar o semestre com margem de 1,7%. A estimativa para crescimento na receita por passageiro foi também mantida, em no mínimo 10%.

Porém, a Gol melhorou estimativas de custos para 2013, avisando que devido ao "cenário macroeconômico adverso, as projeções financeiras poderão ser revisadas trimestralmente".

A companhia reduziu a expectativa de custo operacional por assento disponível por quilômetro (Cask), excluindo combustível, para entre 9,5 centavos e 10 centavos de real, ante a estimativa anterior de 9,7 a 10,3 centavos de real.

Já a previsão para taxa de câmbio média foi elevada para uma faixa entre R$ 2,10 e R$ 2,20, ante R$ 2,08 a R$ 2,18 estimado anteriormente.

A estimativa para o preço do combustível de aviação também sofreu aumento, para entre 2,38 a 2,48 reais por litro, comparado com uma faixa de R$ 2,30 a R$ 2,40 revista anteriormente.

(Com Reuters)


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avião de pequeno porte cai no mar em Paraty, na Costa Verde do Rio

American Airlines não leva brasileiros para réveillon em Nova Iorque

4 ficam feridos em pouso brusco de helicóptero na plataforma da Petrobrás