Voo da Gol volta para Recife após falha técnica; passageiro relata cheiro de fumaça

Avião desembarcaria em Cumbica; cliente com conexão afirma ter chegado ao destino final 10 horas depois do previsto


O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO - Cerca de cinco minutos após decolar na segunda-feira, 8, o voo 1613 da Gol teve de retornar ao Aeroporto Internacional Gilberto Freyre, do Recife. O incidente aconteceu por volta das 5h30, quando foi identificada uma "limitação técnica", de acordo com a companhia. Segundo o passageiro Terni Castro, de 26 anos, havia um cheiro de fumaça dentro da aeronave, cujo destino era o Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. 


Voo da Gol saiu do Recife por volta das 5h20 de segunda-feira, 8
Boeing 737 da Gol | Foto:Fabio Motta - Estadão

"O avião decolou tranquilamente e começou a se estabilizar. Mas aí, com cerca de 5 ou 10 minutos, o piloto anunciou que estava retornando ao aeroporto. Ficou uma apreensão dentro da aeronave, mas, em momento algum, ela se desestabilizou", disse o jornalista pernambucano.

"Assim que o avião 'estacionou', o piloto informou que iriam fazer uma manutenção. Depois desses 20 minutos, informou que demoraria uma hora essa manutenção e que, por isso, desembarcaria todos os passageiros", relata Castro, que foi realocado em um voo de outra companhia, com destino final para Santiago, no Chile.

Após a conexão em Guarulhos, ele chegou ao destino às 2h20 desta terça-feira, 9. Pelo serviço adquirido, contudo, a previsão inicial era de desembarque às 14h40 de segunda-feira. Ele relata que outros passageiros também iriam de Cumbica para outros países, inclusive um casal de noivos em lua-de-mel, que também foi para o Chile.

Em nota, a Gol informa que o retorno do avião aconteceu por "motivos de segurança". "O pouso ocorreu normalmente, e todos os passageiros desembarcados e reacomodados em outros voos. A companhia lamenta que essas medidas causem desconforto aos passageiros, mas reitera que ações como essa visam a garantir a segurança, principal valor de sua política de gestão", apontou.

Castro afirma, contudo, que a companhia demorou para dar informações e suporte para os passageiros. "Foi um sacrifício e uma burocracia conseguir direitos básicos, como voucher, transporte e alimentação devido à demora", criticou.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avião de pequeno porte cai no mar em Paraty, na Costa Verde do Rio

American Airlines não leva brasileiros para réveillon em Nova Iorque

4 ficam feridos em pouso brusco de helicóptero na plataforma da Petrobrás