Pular para o conteúdo principal

Aeroporto de Confins opera sem equipamento que facilita pousos durante mau tempo

Neste domingo, 20 voos foram cancelados. Segundo concessionária responsável pelo terminal, ILS foi retirado durante as obras e já está em processo de reinstalação


Estado de Minas

O Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, voltou a operar sem um importante equipamento capaz de ajudar a evitar os atrasos em pousos e decolagens no terminal. Segundo pilotos consultados pela reportagem, comunicado afirma que o item só deve voltar a operar em março. Por sua vez, a concessionária responsável pelo aeroporto diz que a reinstalação já está em andamento.

O clima é chuvoso na Grande BH desde a sexta-feira. Neste domingo, o voo número 442 que saiu do Panamá precisou ser desviado para o Galeão, no Rio de Janeiro, porque o terminal estava fechado devido ao mau tempo. Conforme o último boletim da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), divulgado às 20h, 113 voos programados para este domingo, 42 atrasaram e 20 foram cancelados.

Um passageiro que estava no terminal neste domingo informou ao em.com.br ter ouvido de um funcionário de uma companhia aérea do local que, devido às obras de reforma do terminal, o equipamento chamado ILS foi retirado. Segundo a fonte, a situação provocou um verdadeiro caos no aeroporto.

ILS é a sigla em inglês para instrument landing system. O aparelho dá a orientação precisa ao piloto durante o pouso quando as condições do clima prejudicam a visibilidade, como em situações de névoa, chuva, neve, entre outros. Em algumas dessas situações, os pilotos são obrigados a se deslocar para os aeroportos mais próximos, o que muda o planejamento das viagens. O terminal conta com apenas um equipamento, instalado em uma de suas cabeceiras.

Pelo menos seis pilotos relataram à reportagem o desligamento do ILS. Eles disseram ainda ter recebido uma notificação informando que o aparelho deve ficar desligado de 8 de dezembro até 4 de março de 2015.

Em 2010, os problemas com o ILS do Aeroporto de Confins foram assunto de reportagens do Estado de Minas. Na época, pilotos falavam da importância do equipamento e cobravam a instalação de um segundo ILS ou a aquisição de um equipamento mais moderno. Em novembro daquele ano, o aeroporto registrou uma série de atrasos e cancelamentos enquanto o aparelho passava por uma manutenção.

Por meio de nota, a BH Airport, concessionária responsável pelo Aeroporto de Confins confirmou que o ILS não está em operação em função das obras, realizadas pela Infraero e que os trabalhos para reinstalação já estão em andamento. Sobre o prazo comunicado aos pilotos, a empresa confirma a data, mas alega que está tomando todas as medidas para que ele volte a funcionar o mais rápido possível. Enquanto isso, outros equipamentos ativos garantem a segurança de pousos e decolagens. Leia na íntegra a nota da concessionária:

O aeroporto alternou momentos de baixa visibilidade neste domingo, especialmente no período da manhã, que impactou algumas operações, ajustadas durante o dia pelas companhias aéreas.

O ILS (Instrument Landing System) – sistema de pouso por instrumento – é um dos equipamentos de auxílio à aeronavegação. Ele é utilizado em situações de baixa visibilidade. Outros equipamentos que compõem o sistema estão ativos e garantem a segurança de pousos e decolagens.

O ILS está desativado devido a obras de ampliação da pista de pousos e decolagens, conforme programação feita junto às companhias aéreas e à comunidade aeronáutica via NOTAM (Notice to Airmen).

As obras, sob controle da Infraero, exigiram a realocação do aparelho. Os trabalhos de reinstalação já tiveram início e estão a cargo também do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).

A BH Airport acompanha os trabalhos junto à Infraero para que o ILS retorne a operar o mais rapidamente possível.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia investiga acidente com helicóptero em Itupeva

A polícia começou a ouvir os funcionários da fazenda que prestaram socorro às vítimas no interior paulista. Câmeras de segurança mostram o momento do acidente. O helicóptero vinha de Paraty.


Avião cai e mata dois

A queda de um bimotor que fazia a rota Teresina-Recife, com dez pessoas a bordo, provocou pânico em San Martin. Oito passageiros ficaram feridas


Um avião bimotor, modelo King Air B200, que retornava de Teresina, no Piauí, com dez pessoas a bordo, a maioria empresários pernambucanos, caiu às 11h15 de ontem, no bairro de San Martin, na Zona Oeste do Recife, e por pouco não provocou um dos maiores acidentes aéreos da história de Pernambuco. O piloto morreu na hora e um dos passageiros, a caminho do hospital. As outras oito pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave. O número de mortos e feridos, entretanto, não foi maior graças à habilidade do piloto. Os 25 anos de experiência permitiram que salvasse diversas famílias que passavam o domingo em casa, nas estreitas ruas do bairro, com 23 mil habitantes.

Sete casas foram atingidas, mas havia moradores em apenas duas delas. Uma dona de casa sofreu arranhões leves. O piloto Eurico Pedrosa Neto, 47 anos, que quebrou o pescoço no acidente…

Destroços de avião desaparecido há uma semana são localizados

Em Valença, no estado do Rio de Janeiro, foram encontrados os destroços do avião que estava desaparecido desde o dia 30 de janeiro. Os corpos de um empresário e de sua família também foram vistos.