Área a ser usada na Copa do Mundo é interditada nas obras de Viracopos

Órgão trabalhista apontou excesso de atividades e risco para operários.
Inauguração do novo terminal de passageiros está prevista para 3 de junho.


Do G1 Campinas e Região

O píer A do novo terminal do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), previsto para ser utilizado pelas seleções e autoridades durante a Copa do Mundo, teve as obras parcialmente interditadas nesta sexta-feira (9) pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest). O órgão apontou excesso de atividades no mesmo ambiente e risco para os funcionários, segundo a assessoria do Ministério Público do Trabalho (MPT).

O terminal tem inauguração prevista em 3 de junho e sete seleções vão utilizar Viracopos para os deslocamentos entre as cidades-sede. Esta semana, a concessionária responsável pela administração do aeroporto admitiu "pequeno" atraso nas obras, mas garantiu o uso da nova estrutura durante a Copa do Mundo.

O MPT informou que foram interditadas as atividades em altura e as que envolvem a movimentação de cargas suspensas. Além do píer A, o píer B e o saguão principal também teve esses serviços suspensos. De acordo com o órgão trabalhista, foram flagrados caminhões realizando manobras a centímetros de distância de plataformas com trabalhadores suspensos, e materiais pesados sendo movimentados "indiscriminadamente" sobre as cabeças dos operários, sem medidas de precaução ou isolamento da área. A conclusão foi de que havia "grave e iminente risco de acidentes".

'Correndo contra o tempo'

“Percebemos que eles estão correndo contra o tempo, e estão executando diversos processos simultaneamente de forma desorganizada. Isso potencializa muito o risco de acidentes”, afirmou o procurador Mário Antonio Gomes em nota divulgada pelo MPT. Atualmente, aproximadamente 6 mil trabalhadores atuam nas obras de expansão de Viracopos.

A fiscalização teve o acompanhamento de quatro procuradores do MPT. De acordo com o órgão trabalhista, faltavam proteções contra quedas, como guarda-corpos em vários pontos da obra, e das chamadas linhas de vida, responsáveis por “ancorar” os cintos de segurança dos operários, instaladas nas extremidades das lajes, ou seja, na zona de risco.

Para solicitar a desinterdição das atividades, o consórcio responsável pelas obras deve regularizar as questões apontadas pelos fiscais e formalizar o pedido de desinterdição ao Cerest. Por meio de nota, o Consórcio Construtor de Viracopos (CCV), disse que "todas as adequações necessárias serão imediatamente efetuadas". Ainda de acordo com as empresas responsáveis pela construção, todas as normas de segurança exigidas pelas leis são cumpridas.

Percentuais da obra

Segundo a concessionária, a obra do terminal de passageiros (com 3 píeres e capacidade para até 22 milhões pessoas por ano) está 92% concluída, dos pátios de aeronaves (com 3.500m² e 37 novas posições), 97%, edifício-garagem (4.000 vagas), 95%, adequações nas pistas de pousos e taxiamento, 100%.

Por contrato, a primeira etapa da ampliação de Viracopos precisa estar operacional até o dia 11 de maio. Caso contrário, a concessionária está sujeita à multa, em valores atualizados, de R$ 170 milhões, mais o máximo de R$ 1,7 milhão por dia de atraso. Técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) farão a vistoria na estrutura a partir de domingo (11).

Seleções

A seleção da Costa do Marfim desembarca no Brasil por Viracopos em 6 de junho, Japão no dia 7, Argélia e Rússia, 8, e Portugal, 11. A previsão é que as delegações de Nigéria e Honduras cheguem ao país por outro local. Contudo, os voos para as partidas da Copa do Mundo serão feitos pelo terminal aéreo do interior de São Paulo.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Avião de pequeno porte cai no mar em Paraty, na Costa Verde do Rio

American Airlines não leva brasileiros para réveillon em Nova Iorque

4 ficam feridos em pouso brusco de helicóptero na plataforma da Petrobrás