Com aprovação de incentivos, empresa mexicana fecha a compra de jatos russos

O Sukhoi Superjet - 100 (SSJ-100) foi aprovado como produto europeu, o que garante incentivos para a compra do produto; com isso, a empresa aérea mexicana Interjet conseguiu um empréstimo de US$ 800 milhões para a aquisição de 30 aeronaves.

Ekaterina Sóbol | Vedomosti 


Agências de crédito à exportação da União Europeia e bancos americanos reconhecerem o avião de passageiros Sukhoi Superjet - 100 (SSJ-100) como produto europeu e concederam à empresa aérea mexicana Interjet um empréstimo de US$ 800 milhões para a compra de 30 aeronaves.

A informação foi dada por um funcionário de uma empresa de leasing russa e por uma fonte próxima da empresa Sukhoi Civil Aircraft (SCA) em entrevista ao “Vedomosti.ru”. O esquema foi utilizado pela empresa mexicana Interjet para comprar 20 aeronaves em fevereiro passado e ganhar uma opção de compra de outras dez. Portanto, além de um desconto (cada aeronave custou à empresa cerca de US$ 23 milhões, enquanto seu preço de catálogo chega a US$ 35 milhões), a empresa mexicana obteve de bancos estrangeiros um empréstimo a uma taxa de juros cerca de 3% inferior à cobrada pelas instituições russas, disse o funcionário da empresa de leasing.

A fonte próxima da SCA confirmou que a empresa fez um desconto porque essa foi a primeira grande encomenda no mercado ocidental. Os concorrentes diretos do SSJ-100, os Embraer 190 e o CRJ 1000, são vendidos por US$ 25 a US$ 28 milhões, enquanto seu preço de catálogo é de US$ 40 milhões, disse a fonte, acrescentando que o SSJ-100 perdia para eles em preço por causa do financiamento. No entanto, o representante da SCA contatado pelo “Vedomosti.ru” se recusou a comentar o assunto.

"Recebemos de bancos norte-americanos uma linha de crédito no valor de cerca de US$ 800 milhões para a compra de aeronaves SSJ-100", confirmou em entrevista ao “Vedomosti.ru” o presidente da Interjet, Miguel Aleman.

O executivo não citou, contudo, os nomes dos bancos nem as taxas de juros a serem cobradas. As garantias foram recebidas das agências de crédito à exportação Sace (italiana), Coface (francesa) e da seguradora de créditos russa Eksar, incorporada ao Vnechekonombank (Banco de Comércio Exterior da Rússia), disse Aleman. Segundo o executivo, quando as aeronaves chegarem ao México, elas serão registradas no inventário de sua subsidiária de leasing. De fato, ela vai comprar as aeronaves, proporcionando à Interjet um grande rendimento.

O contrato de compra de 15 aeronaves SSJ-100 com uma opção de compra de outras cinco foi fechado pela empresa mexicana no final de 2011. Mais tarde, a empresa mexicana encomendou várias outras aeronaves. Atualmente, a Interjet opera dois SSJ-100. No próximo ano, a empresa pretende começar a operar o modelo em voos para os EUA e o Caribe. De acordo com seu plano de negócios, a frota da empresa deverá aumentar para 90 aeronaves, das quais 30 serão SSJ-100 e o resto, Airbus A320.

"A única diferença está na dimensão das aeronaves (100 e 180 assentos) e em seu alcance. Em rotas com duração igual ou inferior a uma hora, iremos operar o SSJ-100. Em rotas mais longas, o Airbus 320", disse Aleman.

Uma fonte familiarizada com os detalhes do acordo com a companhia aérea mexicana afirmou que a decisão de dar preferência ao avião russo foi tomada, em primeiro lugar, devido ao esquema financeiro escolhido e, em segundo lugar, devido às especificações técnicas da aeronave, que, na verdade, são quase as mesmas de seus concorrentes.

Outros clientes do SSJ-100 ainda não conseguiram obter o mesmo esquema de financiamento. A Rússia ainda não aprovou definitivamente a Convenção da Cidade do Cabo, que garante os direitos dos proprietários de aeronaves. Por isso, a classificação internacional de companhias aéreas russas é baixa. É também baixa a classificação de outros compradores estrangeiros do SSJ-100, companhias aéreas de países anteriormente considerados em desenvolvimento.

A Interjet é a segunda maior transportadora aérea mexicana, com um bom tráfego de passageiros, disse a fonte consultada pelo “Vedomosti”. A previsão para 2013 é de que carregue 10 milhões de passageiros, um número igual ao transportado pela companhia russa Transaero em 2012, acrescentou.

Taxa média

No cenário internacional, a taxa média de juros de um empréstimo para a compra de aviões é de 2% a 3% ao ano, enquanto, na Rússia, até recentemente, era de 10%, afirma um titular de um cargo federal. No ano passado, o Vnechtorgbank lançou um novo esquema de financiamento envolvendo duas de suas estruturas: a seguradora de crédito Eksar e o banco Roseksimbank, que concede garantias aos compradores de aeronaves. Isso permitiu diminuir a taxa de juros para 5%.

Pela primeira vez, o novo esquema foi testado durante a venda de SSJ-100 ao Laos. Atualmente, o Vnesheconombank se prepara para aprovar os documentos internacionais necessários para diminuir a taxa de juros para o patamar vigente no resto do mundo, adianta o titular de um cargo federal.

Na Europa, em particular na Itália e na França, os empréstimos são mais baratos do que na Rússia, diz a chefe do departamento de relações exteriores da seguradora de créditos Eksar, Ekaterina Karássina. Para proporcionar um ambiente confortável aos clientes do SSJ-100, a Eksar está elaborando, em cooperação com as agências de crédito à exportação de Itália e França (Sace e Coface), uma cobertura única que não aumente o custo de financiamento em relação aos financiamentos de outras fabricantes de aeronaves internacionais.

A Eksar tem também cooperação com bancos internacionais que oferecem empréstimos mais baratos do que os bancos russos. Assim, o esquema usado no caso da Interjet é um balão de ensaio. Algo semelhante pode ser elaborado para outras companhias aéreas.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Embraer e Japan Airlines estendem programa de peças de reposição da frota de E-Jets

Aviação russa fará voo de observação sobre os EUA