Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2007

Riscos de fissuras provocam inspeção em jatos da Embraer

Patrícia NakamuraO Federal Aviation Administration (FAA) determinou que as aeronaves ERJ-135 e ERJ-145 - produzidas pela Embraer - em operação nos Estados Unidos sejam inspecionadas em busca de fissuras na fuselagem. A medida atinge 624 jatos, que devem passar por inspeção nos próximos seis meses a partir de 2 de janeiro ou antes que eles atinjam um total de 22 mil decolagens e aterrissagens. Os aviões poderão operar normalmente. A fiscalização foi ordenada em 29 de novembro. Rachaduras foram detectadas pela própria Embraer durante testes de fadiga (que simula vôos em condições …

AIRBUS NÚMERO 5.000 ENTREGUE À QANTAS

Amanhã, a Airbus vai celebrar um marco histórico em sua relativamente curta existência, representado pela entrega em Toulouse do avião número 5000 de sua produção, um A330-200 da empresa australiana Qantas.

Trinta e três anos atrás, em maio de 1974, a Airbus entregou o primeiro avião de sua produção, um A300B2 à Air France. Dezenove anos depois, em 1993, a Airbus entregou seu milésimo avião, e levou outros seis anos para alcançar o número 2000 em 1999. O avião de número 3.000 foi entregue em 2002, refletindo a maior família e a maior quantidade de produtos. Em setembro de …

Vôo de Garibaldi Alves tem pane

César Felício

Menos de uma semana depois de eleito presidente do Senado , o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) foi submetido a momentos de tensão ontem à tarde, com uma pane no vôo da TAM 3371, que decolou de Natal para Brasília às 15h17. Segundo relato de passageiros à imprensa do Rio Grande do Norte, após meia hora de vôo, duas turbinas do avião deixaram de funcionar, houve turbulência e perda de altitude.

A aeronave retornou para o ponto de origem e Garibaldi aguardava para ser reembarcado em um avião da FAB até o fechamento desta edição. O presidente do Senado teria que ser acomodado no avião militar escalado para apanhar o ministro da Coordenação Política, José Múcio Monteiro, no Recife.

Junto com o presidente do Senado, estava o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PSB) e os deputados federais Felipe Maia (DEM-RN) e João Maia (PR-RN). Como este vôo é o único que liga diretamente a Natal a Brasília, torna-se muito usado pela classe política às segundas e quintas-feiras.

Havi…

Novas regras em Congonhas querem reduzir atrasos de vôos durante

São Paulo - A partir desta semana (21), o aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, vai operar com redução no número de pousos e decolagens por hora (slots). A movimentação no aeroporto passará dos atuais 33 para 30 slots, de acordo com a assessoria do Ministério da Defesa.

O objetivo da medida é reduzir atrasos e cancelamentos de vôos durante o período das férias. Segundo o ministério, as empresas aéreas devem tentar mudar os horários dos vôos - para que não coincidam com o horário de pico - ou transferi-los para outros aeroportos paulistas.

Além disso, a partir de sexta (21), o horário da última operação programada de vôo em Congonhas será antecipada das 23 horas para as 22h30 e estarão autorizados os pousos com chuva.

De acordo com a assessoria de comunicação do ministério, a estratégia irá evitar o remanejamento para outros aeroportos em caso de tempo ruim.

As medidas que começam a funcionar a partir desta semana foram anunciadas pelo governo no dia 4 de dezembro, como tentati…

Solange Vieira assume a insignificante ANAC

Foi lamentável a declaração da futura presidente da Agência Nacional da Aviação Civil, Solange
Vieira, em sabatina no Senado, ao tentar se esquivar da responsabilidade que vai assumir. “Quero
chamar a atenção para a insignificância da Anac. Nem eu nem os diretores somos salvadores da pátria”, disse. E emendou que a agência sozinha “não é ninguém”. Não se pede milagres a Solange, apenas que cumpra sua missão. O cargo que aceitou por espontânea vontade tem papel bem definido: regular, fiscalizar e pôr ordem na malha aérea brasileira. Se ela o considera insignificante, que não assuma.

Avião gigante decola com 1h50 de atraso em SP

São Paulo - O maior avião comercial do mundo, o Airbus A-380, decolou para o vôo de demonstração no País com quase duas horas de atraso. Segundo a Infraero, a aeronave só partiu do aeroporto de Cumbica para uma viagem com convidados às 16h48. A partida estava prevista para às 15h. A Infraero disse que não houve problemas com a infra-estrutura do aeroporto. A empresa que administra os aeroportos brasileiros não soube informar se o tempo de duração do vôo será encurtado devido ao atraso.O avião gigante chegou nesta segunda-feira ao Brasil. A aeronave posou no aeroporto de Cumbica, às 11h31. Segundo o consultor da Airbus no Brasil, Mário Sampaio, o avião será apresentado a empresários e autoridades.Mesmo com todas as tecnologias do avião, o que chamou a atenção dos consumidores foi a cama de casal. A suíte tem o edredom criado pela empresa francesa Givenchy. A Singapore optou por colocar 471 assentos no avião, com três classes: 399 poltronas na econômica, 60 executivas e 12 suítes. A pa…

A340-600 se acidenta durante testes em Toulouse

No dia 15 de novembro último, um Airbus A340-600, que seria entregue para a companhia Aérea Etihad, teve a seção frontal de sua fuselagem completamente destruída durante a fase de testes dos motores, nas instalações da Airbus em Toulouse (França). Ostentando a matrícula francesa F-WWCJ (MSN 856), o A340 perdeu completamente os freios, vindo a colidir contra as barreiras de contenção sonora da pista, deixando cinco pessoas feridas.

Transporte aéreo está em baixa

A falência da companhia aérea BRA e a continuidade de problemas no setor aéreo reduziram o interesse do consumidor em utilizar o transporte aéreo em época de férias, em novembro. A avaliação é do coordenador de Sondagens Conjunturais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Aluísio Campelo.

De acordo com ele, com base na amostra de 2.100 domicílios usada para cálculo do Índice de Confiança do Consumidor (ICC), o porcentual de pessoas pesquisadas que pretendem viajar de avião nas férias caiu de 41,9% em outubro para 38,9% em novembro. Esse foi a menor parcela de pessoas com interesse em viajar de avião desde dezembro do ano passado.

De acordo com o economista, do total de pessoas pesquisadas para cálculo do ICC, 32,5% pretendem viajar de férias. Desse total, subiu de 44,7% para 51,3% o porcentual de pessoas pesquisadas que informaram o automóvel como meio de transporte para viagem. "Parece que a situação do setor aéreo não evoluiu favoravelmente", disse.

Em compensação, a pesquisa most…

Decisão da Justiça devolve processo da Vasp ao TRF

Juliano Basile

Após 15 anos de tramitação no Judiciário, o processo em que a Vasp pede indenização por prejuízos decorrentes do congelamento de tarifas feito no Plano Cruzado desceu, ontem, de instância. A determinação foi tomada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) que mandou de volta para o Tribunal Regional Federal (TRF) de Brasília o caso Vasp - um pedido de indenização de R$ 2,8 bilhões pelo fato de o Ministério da Fazenda ter imposto o preço das tarifas aéreas entre 1986 e 91, o que teria resultado em perdas às companhias.

O retorno do processo foi dado por um motivo formal. Os ministros do STJ concluíram que dois desembargadores do TRF não poderiam ter alterado o seu voto após um recurso da Vasp (chamado de embargos de declaração). A Vasp perdeu numa primeira votação no TRF por cinco votos a três. Então, entrou com embargos de declaração pedindo o esclarecimento do voto de dois desembargadores que votaram contra a companhia numa questão preliminar, mas foram favoráveis a ela n…

BRA tenta evitar falência e busca acordo com credor

Roberta Campassi

A BRA entrou com pedido de recuperação judicial na noite de segunda-feira, depois de ter suspendido todos os seus vôos no dia sete deste mês. Segundo Danilo Amaral, vice-presidente de relações institucionais da empresa, o movimento não marca o fim da negociação entre a companhia aérea, seus credores e fundos de investimentos em busca de uma solução para a crise financeira.

"Foi uma medida para proteger a empresa de um pedido de falência", afirmou Amaral. "Os fundos entenderam que a BRA estava muito vulnerável e preferiram ficar protegidos." Ao todo, sete grupos detêm participação na companhia: Goldman Sachs, Gávea Investment, Development Capital, Bank of America, Darby Investments, HBK e Millenium Global. Os principais acionistas são os irmãos Walter e Humberto Folegatti, com mais de 50% do capital.

A companhia vinha negociando, com os sócios, um novo aporte de pelo menos US$ 30 milhões. Com os credores, segundo Amaral, está negociando a conversão de …

Bologna deixa presidência da TAM; David Barioni assume

Reportagem de Rodolfo Barbosa

SÃO PAULO - A TAM anunciou uma troca de comando nesta quarta-feira. A maior empresa aérea do país informou que seu presidente-executivo Antônio Bologna pediu afastamento do cargo.

Para a posição, foi escolhido o vice-presidente de operações da companhia, o comandante David Barioni Neto. O novo vice-presidente de operações é o comandante Fernando Sporleder Júnior.

"A mudança foi aprovada hoje pelo Conselho de Administração dentro do processo de sucessão iniciado pela TAM em março deste ano", informou a empresa em um comunicado ao mercado.

Príncipe saudita faz primeira encomenda particular do Airbus-A380

A fabricante européia de aviões Airbus anunciou que o príncipe saudita Alwaleed bin Talal Alsaud fez a primeira encomenda particular de um A380, o maior avião de passageiros do mundo. Alsaud, que é o 13º homem mais rico do mundo segundo o ranking da revista "Forbes" (com uma fortuna avaliada em cerca de US$ 20 bilhões), é atualmente proprietário de um Boeing 747-400. O valor do avião não foi divulgado, mas está avaliado em torno de US$ 300 milhões. O contrato de compra foi assinado nesta segunda-feira, durante a feira do setor aéreo de Dubai (Emirados Árabes Unidos). O avião deve ser entregue em 2010. Com 80 metros de envergadura (distância entre a ponta de uma asa até a ponta da outra), 73 metros de comprimento, 24 metros de altura, 560 toneladas de peso e autonomia de 14.800 km de vôo, o novo avião foi projetado para transportar 555 passageiros --mas, com mudanças em seu interior, pode receber cerca de 800 passageiros. "Esse é um sinal bastante claro da tremenda riqu…

Avião gigante da Airbus fará vôo demonstração no Brasil

KAREN CAMACHO
Editora-assistente de Dinheiro A Airbus informou nesta quarta-feira que pretende realizar, em dezembro, vôos de demonstração com o gigante A380 no Brasil. O pouso (dia 9) e a decolagem (dia 10) devem ocorrer no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. A Airbus informou que só depende de autorização das autoridades brasileiras. O vice-presidente da Airbus para América Latina, Rafael Alonso, informou que o avião que virá ao Brasil será configurado para cerca de 500 passageiros e será apresentado a autoridades e empresários. A aeronave partirá da França, passará pela Argentina e pousará em São Paulo. No dia 10, o avião parte de Cumbica direto para a França. Segundo a Airbus, o avião precisa de uma pista com 45 metros de largura e de 2,6 mil metros de comprimento para o pouso e decolagem de demonstração e Guarulhos atende às especificações. Se fosse uma operação regular, a aeronave precisaria também de pistas mais largas para manobrar e pontes de embarque de dois andares para com…

Embraer fecha quatro contratos em feira de Dubai para vender 41 jatos

Empresa pode faturar acima de US$2 bilhões em feira de aviação
Aguinaldo Novo SÃO PAULO. Com menos de dois dias da Dubai Air Show, feira de aviação nos Emirados Árabes que vai até quinta-feira, a Embraer já fez o anúncio de quatro novos negócios, além de confirmar um quinto. Considerando os pedidos firmes, foram vendidos mais 41 jatos, pelo preço de tabela de US$952,66 milhões. Mas, se essa soma incluir também as chamadas opções (promessas) de compra, o total de unidades negociadas pela empresa brasileira chega a 75, com potencial para gerar uma receita de US$2,149 bilhões. A expectativa do mercado é que outros contratos sejam fechados nos próximos dias.No domingo, a Embraer fechou contratos com a espanhola Globalia, com a nigeriana Virgin Nigeria e com a Falcon Aviation Service, dos Emirados Árabes. Mais dois anúncios foram feitos ontem: com a Al Jaber, também dos Emirados Árabes, e com a Nation Air Service (NAS), da Arábia Saudita.Primeira empresa aérea que opera com o conceito de ba…

Para TAM , mercado abriga 'aventureiros'

Roberta Campassi e José Sérgio OsseA TAM, maior companhia aérea do país, considera que no mercado brasileiro há "algumas empresas aventureiras" e "sem lastro" para determinados tipos de operação. "A crise da BRA está intimamente ligada a uma aventura", disse o vice-presidente da TAM, Paulo Castello Branco, durante apresentação para investidores e analistas, ontem.Já o presidente da TAM, Marco Antonio Bologna, afirmou que "faltaram alguns itens essenciais para a BRA ter escala e rentabilidade" depois que a empresa deixou de ter vôos charters para ter operações regulares. O executivo citou três itens: uma frota adequado e um respectivo plano de crescimento, caixa robusto e estrutura de custos competitivos.Bologna disse que, à medida que a regulação do setor aéreo fica mais madura, a tendência é as autoridades reguladoras realizarem avaliações financeiras mais profunda nas companhias para evitar problemas. Atualmente, a Agência Nacional de Aviação …

Embraer admite remanejar encomenda da BRA

Patrícia Nakamura
A Embraer poderá remanejar as entregas dos pedidos em carteira caso a BRA cancele o pedido de 20 aeronaves modelo 195, avaliados em US$ 730 milhões, além de 55 opções de compra. A BRA parou de operar na quarta-feira passada. Os dois jatos encomendados pela GE Comercial Aviation Services (Gecas) que seriam destinados à BRA serão entregues no terceiro trimestre do ano que vem e serão destinados pela empresa de leasing a outras companhias aéreas."Os depósitos da compra estão em dia", afirmou ontem o vice-presidente financeiro da empresa, Antônio Luiz Pizarro Manso. Caso deixe de efetuar os pagamentos, a BRA perderá os valores depositados, mas não deverá pagar multa. O executivo não quis informar o montante já recebido. Outra alternativa é a transferência das encomendas para outros clientes.Manso afirmou que no quatro trimestre a cadência de produção da família 170-190 chegará a 14 aeronaves por mês, ante as 13 produzidas mensalmente durante o trimestre anterior…

Aéreas devem perder US$ 100 milhões

As companhias aéreas latino-americanas irão terminar o ano com um prejuízo acumulado de US$ 100 milhões, enquanto o setor nos demais continentes registrará o primeiro resultado positivo desde o início da década. A previsão é da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que aposta em uma pequena recuperação em 2008. O presidente da IATA, Giovanni Bisignani, destacou como exemplos positivos a Lan Chile, a TAM e a Copa. Juntas essas empresas somam capitalização de mais de US$ 9 bilhões. A entidade ainda apontou a 'vergonhosa' taxa de acidentes aéreos na América Latina.

O apagão desmoraliza o país

MARCELO PIMENTELAdvogado, foi ministro do Trabalho e ministro presidente do TST
Lula resolveu dar um basta (temporário?) ao inoportuno debate sobre o terceiro mandato, que é alimentado pelos bajuladores e alguns de seus antigos parceiros sindicalistas, hoje deputados do PT. É de lembrar que o partido foi radicalmente contra a iniciativa de FHC ao patrocinar o autobenefício, insuflando seus áulicos de então à aprovação da proposta respectiva que havia sido recusada por JK — com amplíssimas possibilidades de êxito — e Itamar, então com mais de 80% de aprovação popular ao seu governo.Registrem-se duas circunstâncias por oportunas: em primeiro lugar, Lula é o presidente da República que conseguiu lograr, ao longo do mandato, os mais expressivos índices de aprovação popular, índices que muito provavelmente resistiriam a qualquer plebiscito que se colocasse para aprovação ou rejeição de um terceiro mandato; em segundo, que é um presidente da República que, indefectivelmente, tem sido perfeit…

Missão: recompor a Anac

Governo pode não definir todos os dirigente da Agência Nacional de Aviação Civil até dezembro.O órgão funciona com apenas um diretor. Dois foram escolhidos, mas ainda não tomaram posse
LEONEL ROCHAO governo corre o risco de não conseguir recompor a diretoria da Agência Nacional de Aviação
Civil (Anac) antes do final do ano. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, está com dificuldades para encontrar um diretor especializado em relações internacionais, estudos e pesquisa.Ele já havia convidado o economista Cláudio Jorge Pinto Alves, mas suspendeu a indicação, que obrigatoriamente precisa ser feita pelo Palácio do Planalto ao Senado, porque prefere um profissional com perfil adequado ao posto. Além disso, vem adiando a oficialização da indicação da economista Solange Vieira para a presidência da agência, porque há dúvidas no governo se a atual secretária de Aviação Civil do Ministério da Defesa é o nome mais apropriado para o posto.Desde o dia 24 de agosto, a Anac não funciona com a diretoria…

Os acidentes decolam

A dois meses do fim do ano, Brasil já bateu recorde em desastres aéreos. São 76 casos. Aumento da frota e falhas na inspeção de aeronaves estão entre as causas do problema
Ullisses CampbellO ano de 2007 ainda nem terminou e o Brasil já bateu o recorde em acidentes aéreos. De janeiro até a semana passada, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa) registrou 76 tragédias envolvendo aviões civis comerciais. Desde 1997, o país não registra tantos acidentes com aeronaves. “Esses números são preocupantes. O governo deveria aumentar a fiscalização porque há companhias aéreas que não operam com segurança”, ressalta o diretor de Segurança de Vôo do Sindicato Nacional dos Aeronautas, comandante Gilberto Salvador Camacho.O número de mortes em acidentes aéreos também bateu recorde nos 10 primeiros meses deste ano. Foram 266 de janeiro a outubro. Nos últimos dois anos, 499 pessoas perderam a vida em tragédias aeronáuticas. “Essas estatísticas são alarmantes. É preciso repens…

Ruim para o consumidor

Contrato de concessão do posto Shell do Aeroporto JK tem renovação investigada pela Controladoria-Geral da União
Da RedaçãoUm negócio bom para as partes e ruim para o interesse público. Assim pode ser definido o contrato de concessão do posto Shell do Aeroporto JK. Bom para as partes porque lucram, com o acordo, a empresa petrolífera, que vende seu combustível em um ponto de venda privilegiado; o empresário, que explora o posto, por pagar à Infraero apenas R$ 9 mil mensais pelo aluguel de uma área pública; e a empresa aeroportuária, que recebe por uma área que não é sua. Quem perde é o cidadão, pois, num emaranhado de ilegalidades já denunciadas pela Controladoria-Geral da União (CGU), a única coisa que não vale são os seus interesses.
A história do posto Shell começa há exatos 20 anos. Desde 1987, a Infraero administra o terreno de 25 hectares que cerca o Aeroporto JK, o imóvel que pertence ao GDF. Administra, diga-se de passagem, apenas de acordo com seus interesses, legalizando incl…

Varig volta a voar para Buenos Aires

A Varig informou que voltará a ter vôos diários para Buenos Aires, a partir de amanhã. Segundo a empresa, até o final do ano deverão ser 98 vôos semanais. Enquanto isso, a partir da próxima semana a companhia aérea deverá oferecer 28 freqüências semanais entre Buenos Aires e as cidades de São Paulo e Rio. Em 3 de dezembro, serão iniciados mais 42 vôos entre essas cidades.A partir do dia 10 do próximo mês, a empresa também vai passar a interligar Buenos Aires a Brasília (DF), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS) e Recife (PE), somando mais 28 vôos semanais.Negócios e lazerSegundo o diretor comercial da Varig, Lincoln Amano, a empresa aposta no aumento da demanda de clientes por viagens de negócios entre os dois países, além das de lazer. Atualmente, a Varig já tem vôos regulares para Bogotá e Caracas, na América do Sul, e Frankfurt, Londres, Paris e Roma, na Europa.A Varig foi proibida de voar para a Argentina, em agosto deste ano, pelo governo argentino, que alegou não conhecer a com…

Com Varig, Gol fica mais perto da liderança

O grupo Gol está mais próximo da liderança no mercado de vôos domésticos. Em outubro, a Gol e a Varig, que foi adquirida em abril, ficaram com 45% de participação, enquanto a TAM, atual líder, fechou o mês com 46,6%. Em setembro, a diferença entre as duas era de quase sete pontos percentuais.A Gol tem boas chances de chegar à liderança nos próximos meses, uma vez que relançou a marca Varig e está investindo em sua publicidade para competir diretamente com a TAM. A TAM, por sua vez, prevê que vai se manter como a maior companhia aérea do país em 2008, conforme informou em sua teleconferência na sexta-feira.No seu último mês de operações, a BRA ficou com 2,5% de participação doméstica, sendo que em setembro tinha 4,6%. Já a OceanAir praticamente manteve sua fatia: 2,9% no mês passado, contra 2,6%, em setembro. Os dados foram divulgados pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).A demanda doméstica registrou um aumento forte em outubro, de 15,7%, após um mês de retração, agosto, e um…

Despesa deve continuar afetando balanços das aéreas

Roberta Campassi As duas maiores companhias aéreas do país sofreram reduções significativas em sua rentabilidade neste ano. Para 2008, a melhora de resultados dependerá especialmente da redução dos custos. Isto porque o preço cobrado por cada quilômetro voado não deve subir.O setor de aviação usa o chamado "yield" para medir quanto cada passageiro paga para voar por um quilômetro. É um dos indicadores mais usados para prever o resultado das companhias aéreas, já que mostra se as empresas estão conseguindo mais ou menos receita por unidade de transporte. No terceiro trimestre deste ano, o "yield" da TAM foi de R$ 0,25, valor 15,7% menor do que no mesmo período de 2006. No caso da Gol, o yield caiu 11,7%, para R$ 0,22."Acreditamos que para 2008 os 'yields' ficarão estáveis em relação ao que for registrado no quarto trimestre deste ano, em termos nominais", afirmou Líbano Barroso, vice-presidente de finanças e relações com investidores da TAM, durant…

Autoridade é uma coisa, eficácia é outra

O caos aéreo, de pura teimosia, sobrevive às ordens e à pose do ministro JobimENSAIO: Roberto Pompeu de Toledo O ministro dos Desastres Aéreos, Nelson Jobim, explicou assim, na semana passada, a questão da fiscalização das condições em que operam os aviões no país: "A fiscalização existe. A eficácia dessa fiscalização é que é o problema. O problema da existência da fiscalização é uma coisa, e outra coisa é a eficácia dessa fiscalização". Jobim freqüenta já há algum tempo a cena nacional, mas nunca esteve tão exposto. Com isso, vamos nos familiarizando com o seu jeitão seguro de dizer as coisas, temperado por um certo enfado, como se cansado de ter de explicar questões tão óbvias. O ministro, da altura de mais de 1,90 metro às proeminências do nariz e do abdome, tem o perfil do general De Gaulle. Recortem-se as silhuetas de um e de outro e elas se encaixarão como uma peça de quebra-cabeça em seu molde. Da semelhança física, o modelo gaullista expandiu-se para o espírito do mi…